sábado, 29 de setembro de 2018

Lund - Suécia

A Ines é uma das minhas correspondentes alemãs não tem tido tempo para escrever cartas, vai daí enviou este postal sueco para dizer que ainda está viva. Lund foi passou as suas últimas férias.

Lund é uma cidade na província de Escânia, no sul da Suécia. Acredita-se que Lund tenha sido fundada por volta de 990, quando a Escânia fazia parte da Dinamarca. A cidade foi cedida à Suécia no Tratado de Roskilde em 1658, e seu estatuto como parte da Suécia foi formalizado em 1720.
A Universidade de Lund (edifício branco no postal), fundada em 1666, é hoje uma das maiores e mais antigas instituições de educação e pesquisa da Escandinávia. A universidade e seus prédios dominam grande parte do centro da cidade e transformaram-na  num centro para a indústria de alta tecnologia no sul da Suécia.

Hedeby - Alemanha

Hoje é o meu aniversário do Postcrossing, parabéns para mim. Faz hoje 12 anos que me inscrevi no site e ainda bem que o fiz. Já agradeci à pessoa que me indicou o site. São 12 anos de muitos postais, muitos amigos, muitos locais descobertos e visitados e sobretudo uma imensa alegria cada vez que encontro um postal na caixa do correio. Obrigada Postcrossing.
Tendo sido graças à colecção UNESCO que tenho aprendido imenso sobre tantos lugares incríveis em todos os cantos do mundo. Foi graças aos postais que descobri 3 dos locais UNESCO que vou visitar daqui a uns dias na Alemanha. Hedeby não será um deles locais, vou para a Baviera, não para o norte do país. 

O Complexo Arqueológico de Hedeby e o Danevirke foi inscrito na lista do Património Mundial este ano. Este postal foi enviado por Claus.
Hedeby, actualmente localizado no norte da Alemanha, junto à fronteira com a Dinamarca, foi um entreposto comercial que se transformou na segunda maior cidade viking do norte da Europa. Foi fundada no século VIII e abandonada em 1066.
No seu auge, cerca de 2.000 pessoas viveriam permanentemente em Hedeby, ao que se juntavam os inúmeros comerciantes que por ali passavam.

© Stiftung Schleswig-Holsteinische Landesmuseen Schloss Gottorf, 2012 
Hedeby foi destruída pela primeira vez pelo rei norueguês Haroldo III da Noruega - o último grande viking - em 1050 usando navios em chamas. Foi finalmente destruída pelo fogo em 1066 depois de um ataque pelos guerreiros eslavos e o local foi completamente abandonado. 
Uma nova cidade - Schleswig - foi fundada no lado norte do Schlei, tendo Hedeby permanecido praticamente esquecida durante 800 anos. A localização de Hedeby, cercada por muralhas semicirculares, só foi redescoberta no final do século XIX.
Hedeby foi abandonada no século XI e não tornou a ser reconstruída. É um dos locais mais pesquisados e ricas em achados arqueológicos da Alemanha. Embora as escavações arqueológicas estejam em andamento há mais de um século, apenas cerca de 5% do local foi totalmente investigado.

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Castelo de Foix - França

Há 5 anos andava eu pela França com a Joaninha e Foix foi um dos locais por onde passámos. A ideia era visitar este castelo mas chegámos tarde demais e batemos com o nariz na porta, estavam a fechar!! 
A Vitória andou lá perto há poucos dias e escolheu este postal para me enviar.

O Castelo de Foix é um castelo cátaro no departamento francês de Ariège. Está classificado como monumento histórico pelo Ministério da Cultura francês.
Nos séculos XII e XIII, o castelo tinha apenas 2 torres quadradas; a torre redonda foi adicionada somente no século XV.

Editions d'Art Larrey cdl - Toulouse
É o berço da célebre família de condes que mais tarde se estenderia ao viscondado de Béarn, depois ao reino de Navarra e até ao trono francês na pessoa de Henrique IV.
Em 1002 o castelo figurou no testamento de Roger, o primeiro conde de Carcassonne, que o legou ao seu filho mais velho Bernard. Bernard Roger é o primeiro a usar o título Conde de Foix. O castelo foi a principal residência do conde até 1290.
Até a Revolução Francesa, a fortaleza manteve acantonada uma guarnição. As suas torres serviram como prisão para presos políticos e civis durante quatro séculos até 1862.
Um dos seus governadores foi o conde de Tréville, capitão dos mosqueteiros de Luís XIII da França.
Desde 1930, o castelo acolhe as colecções do Museu Departamental de Ariège.

Palácio da Pena

Temos palácios muito bonitos em Portugal mas se perguntarmos à maioria dos portugueses qual é o mais bonito deles todos, aposto que o escolhido será o Palácio da Pena. Não faltam títulos e reconhecimentos à sua beleza e exuberância. É uma das 7 Maravilhas de Portugal, Património Mundial da Humanidade, o mais completo e notável exemplar de arquitectura portuguesa do Romantismo e até um dos 10 lugares no mundo que parecem ter saído de um conto de fadas.  
Não admira que já tenha vários postais de lá. Estes foram enviados pela Vitória, pela Joana Borda d'Água, pela Ninocas e pela Joana Duarte. 

© Sergiy Scheblykin 2016
O Palácio da Pena é umas das principais expressões do Romantismo arquitectónico do século XIX no mundo, constituindo-se no primeiro palácio nesse estilo na Europa, erguido cerca de 30 anos antes do Castelo de Neuschwanstein, na Baviera.
No século XIX a paisagem da serra de Sintra e as ruínas do antigo convento maravilharam o rei-consorte Fernando II de Portugal. Em 1838 este decidiu adquirir o velho convento, a cerca envolvente, o Castelo dos Mouros e quintas e matas circundantes.
No tocante à área do antigo convento, promoveu-lhe diversas obras de restauro, com o intuito de fazer do edifício a sua futura residência de Verão. O novo projecto foi encomendado ao Barão von Eschwege.

Em Sintra, os trabalhos decorreram rapidamente e a obra estaria quase concluída em 1847, segundo o projecto do alemão, mas com intervenções decisivas ao nível dos detalhes decorativos e simbólicos do rei-consorte. 
Após a morte de D. Fernando, o palácio foi deixado para a sua segunda esposa, Elisa Hendler, Condessa de Edla, o que à época gerou grande controvérsia pública, dado que se considerava já o histórico edifício como monumento. A viúva de D. Fernando procurou então chegar a um acordo com o Estado Português e recebeu uma proposta de compra por parte de Luís I de Portugal, em 1889, em nome do Estado, que aceitou, reservando então para si apenas o Chalé da Condessa, onde continuou a residir.

 Rufino & Rufino Lda
Com essa aquisição, o Palácio passou para o património nacional português, integrando o património da Coroa.
Durante o reinado de Carlos I de Portugal, a Família Real ocupou com frequência o palácio, tornando-se a residência predilecta da Rainha D. Amélia, que se ocupou da decoração dos aposentos íntimos.
Após o regicídio, a Rainha D. Amélia retirou-se ainda mais para o Palácio da Pena, rodeada de amigas e dos seus cães de estimação. Aqui recebia amiúde a visita do filho, Manuel II de Portugal, que nele tinha os seus aposentos reservados. 

Vistal Gráfica, Lda * Photo: Boris Stroujko - folotia.com
Com a implantação da República Portuguesa, o palácio foi convertido em museu, com a designação oficial de Palácio Nacional da Pena. Em 1945, a rainha D. Amélia, de visita a Portugal, voltou ao Palácio da Pena, onde pediu para estar sozinha durante alguns minutos: era o seu palácio predilecto. - in: wikipédia

domingo, 23 de setembro de 2018

Palácio Nacional de Queluz

Para quem gosta de palácios e de imaginar como terá sido a vida na corte, o Palácio Nacional de Queluz é como uma máquina do tempo, capaz de nos transportar para o século XVIII e colocar-nos à conversa com príncipes e princesas nos seus salões, passear nos seus belos jardins e pedir ao rei um daqueles belos armários para guardar postais :)
Eu pensei nisso quando lá fui e aposto que a Ninocas e a Joana pensaram no mesmo.

O Palácio Real de Queluz, também chamado de Palácio Nacional de Queluz, consiste num palácio do século XVIII. Um dos últimos grandes edifícios em estilo rococó erguidos na Europa, o imóvel foi construído como um recanto de verão para D. Pedro de Bragança.

© Sergiy Scheblykin 2016
Serviu como um discreto lugar de encarceramento para a rainha D. Maria I, enquanto demente e sobretudo depois da morte de D. Pedro, em 1786. Após o incêndio que atingiu o Palácio da Ajuda em 1794, o Palácio de Queluz tornou-se a residência oficial do Príncipe Regente português, o futuro D. João VI e de sua família. Permaneceu assim até à fuga da Família Real para o Brasil, em 1807, devido às Invasões Francesas.


A construção do Palácio iniciou-se em 1747, tendo como arquitecto Mateus Vicente de Oliveira. Apesar de ser muito menor, é chamado frequentemente o "Versailles português". A partir de 1826, o palácio deixou lentamente  de ser o eleito pelos soberanos portugueses. Após um grave incêndio ocorrido em 1934, o qual destruiu o seu interior, o monumento foi extensivamente restaurado e, hoje, encontra-se aberto ao público.
Uma das alas do Palácio de Queluz, o Pavilhão de Dona Maria, construído entre 1785 e 1792 pelo arquitecto Manuel Caetano de Sousa, é, na actualidade, um quarto de hóspedes exclusivo para chefes de Estado estrangeiros em visita a Portugal.
Está classificado como Monumento Nacional desde 1910. - in: http://www.sintraromantica.net/pt/monumentos/palacio-nacional-de-queluz

© Instituto dos Museus e da Conservação, I. P. / Palácio Nacional de Queluz - Fotografia: Luís Pavão
O Quarto D. Quixote é o quarto de aparato mais conhecido do Palácio, onde nasceu a maioria dos filhos de D. João VI e de D. Carlota Joaquina, entre os quais se destaca o infante D. Pedro – Imperador do Brasil e Rei de Portugal – que aqui morreu também em 1834, vítima de tuberculose, contando apenas trinta e seis anos. - in: https://www.parquesdesintra.pt/pontos-de-atracao/quarto-d-quixote-queluz/

Europa RR - Grupo 136 * Igrejas

Igrejas da Hungria e da Polónia. 

Photos: www.photodecor.hu
Há postais que nos trazem boas memórias e este é certamente um deles. Estive em Budapeste o ano passado e adorei a cidade. Visitei a Basílica de Stº Estevão e até subi à cúpula. 
A Basílica de Stº Estevão é a maior igreja de Budapeste e o seu edifício mais alto. O edifício foi concluído em estilo neoclássico em 1905, após 54 anos de planeamento. 
A basílica recebeu o nome de Santo Estêvão, o primeiro rei cristão da Hungria, cujo corpo mumificado está enterrado na cripta. Sua mão direita intacta e preservada, é mantida como uma relíquia no corredor principal da Basílica. A Basílica é também um importante espaço musical, onde se realizam vários espectáculos. O postal foi enviado pelo Ferenc. 

Fot. Dariusz Krakowiac
Nunca fui a Torun mas não me importava nada de ir, até porque o centro histórico da cidade é Património Mundial da Humanidade. Neste postal enviado pelo Kamilla podem ver-se alguns dos vários monumentos da cidade, onde se destaca a Igreja da Assunção da Virgem Maria, erguida na segunda metade do século XIV por frades franciscanos.
É uma das mais notáveis realizações artísticas e arquitectónicas da arquitectura sacra na Polónia. No século XIV, era a igreja mais alta da Europa Central, com as naves e corredores de 26,8 metros de altura.

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Pittsburgh - EUA

 Pittsburgh é a segunda cidade mais populosa do estado americano da Pensilvânia, atrás apenas da cidade de Filadélfia. Pittsburgh está localizada no sudoeste do estado, sendo a sede do Condado de Allegheny.

Photo © Dan Amerson
US-5507991, enviado pela Reda.
Desde o final do século XIX e até meados da década de 1960, Pittsburgh foi o maior pólo siderúgico e o maior produtor de aço do mundo. Daí um dos cognomes de Pittsburgh ser "Cidade do Aço".
Photo © Dan Amerson
US-2078239, enviado pelo Don e escrito em português.
Outro dos cognomes é "Cidade das Pontes" pelo seu recorde mundial de 446 pontes.
O postal mostra o "Golden Triangle", o centro financeiro da cidade, localizado na confluência do rio Allegheny e do rio Monongahela, cuja união forma o rio Ohio. O "triângulo" é delimitado pelos dois rios. Na área existem escritórios de grandes empresas, como o PNC Bank, a U.S. Steel, a PPG, o Bank of New York Mellon, a Heinz, a Federated Investors e a Alcoa.

Encontro em São Paulo

Há exactamente dois anos estava eu no Brasil, a poucos dias de ir para São Paulo. Lá, juntamente com a Déa, conheci a Valéria e a Luzia. Elas não se conheciam mas desde então estiveram juntas em vários encontros. O último deles foi em Julho e ambas me enviaram um postal. 

Design by Ralph Tung - Postcrossing logo is a registered trademark
A ponte Octávio Frias de Oliveira é uma ponte estaiada localizada na cidade de São Paulo. A ponte, que faz parte do Complexo Viário Real Parque, é formada por duas pistas estaiadas em curvas independentes de 60º que cruzam o rio Pinheiros, no bairro do Brooklin, sendo a única ponte estaiada do mundo com duas pistas em curva conectadas a um mesmo mastro. Foi inaugurada em 10 de maio de 2008, após três anos de construção. - in: wikipédia

Postais do Brasil
A Avenida 23 de Maio, originalmente conhecida como Avenida Itororó e, depois, Avenida Anhangabaú, é uma das mais movimentadas avenidas do município de São Paulo, sendo o principal corredor de ligação dos bairros da subprefeitura da Vila Mariana à região central da cidade. 
Recebeu este nome em referência ao dia em que foram mortos os estudantes Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo (conhecidos pelo acrônimo MMDC), 23 de maio de 1932, evento que se encaixa no contexto da Revolução Constitucionalista de 1932. - in: wikipédia

sábado, 15 de setembro de 2018

AU-621549

A pequena ilha Tasman, junto à ilha da Tasmânia, é o local de um dos faróis mais isolados da Austrália. Faz parte do Parque Nacional Tasman.

Photographs: John Ibbotson; © Totajla/Shutterstock (background)
AU-621459, enviado pela Karen.
O farol de 29 metros de altura está situado no ponto mais alto da ilha, perto da Baía Storm, 276 metros acima do nível do mar - tornando-se o farol mais alto da Austrália. 
Construído em 1906, o farol é construído de placas de ferro fundido curvo, aparafusadas e posicionadas sobre uma base de concreto.
O farol foi automatizado em 1976 e o último faroleiro partir em Maio de 1977. Desde então não houve nenhuma presença humana permanente na ilha. 

Memorial Chiang Kai-shek - Taiwan

O  Memorial Chiang Kai-shek está localizado no coração da cidade de Taipei. Com uma área de 250.000 metros quadrados, é a atracção mais visitada por turistas estrangeiros. 

© Nisan International Co., Ltd. All rights reserved
O Memorial Nacional de Chiang Kai-shek é um monumento situado em Taipei, construído em memória do antigo presidente Chiang Kai-shek. 
Depois da morte de Chiang Kai-shek em 5 de Abril de 1975, um ramo executivo do governo estabeleceu um Comité Funerário para construir um monumento comemorativo. 


TW-2589637, enviado pelo Jianxian.
O desenho foi realizado pelo arquitecto Yang Cho-cheng e incoporou muitos elementos da arquitectura tradicional chinesa.
A construção do memorial iniciou-se a 31 de Outubro de 1976, data do 90° aniversário Chiang. A inauguração aconteceu a 5 de Abril de 1980, aquando do 5º aniversário da morte do líder.


A arquitetcura deste memorial foi inspirada em Tiantan em Pequim. Os quatro lados da estrutura são semelhantes às pirâmides no Egito. O material é o mármore branco.

Osima Photo & Publishing
 TW-761517, enviado pela Szu-Chia.
 Os telhados são decorados com vidro azul profundo como parte da reflexão do céu azul e sol brilhante. No jardim estão plantadas flores vermelhas. Como um todo, as cores de azul, branco e vermelho expressam a bandeira nacional e o espírito de liberdade, igualdade e fraternidade.

Taiwan

Apesar de consultar muitas vezes mapas, os postais com mapas não são dos meus preferidos, tenho mesmo muito poucos. Estes são de Taiwan. O 1º é um oficial que chegou há dias e o 2º foi enviado pela Licia em 2009. 

Taiwan está situado no Pacífico Oeste entre o Japão e as Filipinas. A sua jurisdição se estende aos arquipélagos de Penghu, Kinmen e Matsu, além de inúmeras outras ilhotas. A área total de Taiwan e suas ilhas periféricas é de cerca de 36.197 quilómetros quadrados. Com aproximadamente o tamanho da Holanda, mas com uma população de cerca de 23 milhões, Taiwan é mais populoso que três quartos das nações do mundo.

TW-2590092, enviado pelo Troy.
Na ilha existem cadeias montanhosas com muitos picos que atingem mais de 3.000 metros, incluindo a montanha mais alta da Ásia Oriental, a Montanha Jade (Yushan), a as florestas ocupam mais da metade de sua área. A ilha também possui montanhas vulcânicas, planaltos, planícies costeiras e bacias.


Embora Taiwan possa ser descrito como predominantemente uma sociedade chinesa Han, com mais de 95% da população reivindicando ascendência Han, sua herança é na verdade muito mais complexa. As ondas sucessivas de imigrantes chineses que começaram a chegar no século XVII pertenciam a uma variedade de subgrupos com línguas mutuamente ininteligíveis e costumes diferentes. Hoje em Taiwan, no entanto, distinções entre eles são menos evidentes devido aos casamentos mistos e do uso universal do mandarim.
Com sua fusão única de culturas, paisagens de tirar o fôlego, culinária diversificada, vida agitada na cidade e indústria de hospitalidade bem desenvolvida, Taiwan é um destino ideal para qualquer tipo de viajantes.

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Asakusa, Tóquio - Japão

Da tranquilidade de uma aldeia de montanha na Índia para a agitação de Tóquio. Asakusa é uma das principais áreas turísticas de Tóquio, visitadas pela Relie quando viajou para o Japão há 8 anos. 8 anos depois recebi outro postal de lá, desta vez um oficial.



Asakusa é um bairro famoso devido ao Templo Sensoji. O imponente Portão Kaminarimon, é a entrada do templo e domina a rua principal de Asakusa.
Asakusa oferece as vistas, sons e cheiros da antiga Tóquio histórica, como em nenhum outro lugar da metrópole. A vida ainda é muito vivida nas ruas de Asakusa, tangível e visível nas vendas de beira de estrada, nos riquexós de aluguer e em festivais de rua.

JP-1150938, enviado pela Satomi. 
Uma das atracções de Asakusa e local de paragem obrigatória para tirar fotos, é o Portão Kaminarimon.
Originalmente construído pelo comandante militar Taira no Kinmasa, remonta a 942 d.C.. O portão  foi posteriormente transferido para o seu local actual. Reconstruído várias vezes após ser danificado pelo fogo, o portão atual data de 1960.
A peça central do portão é uma magnífica lanterna vermelha feita por um fabricante de lanternas de Kyoto. Os caracteres kanji lá pintados significam "portão do trovão".

Langza - Índia

Uma aldeia numa montanha é algo mais ao meu gosto do que um resort junto ao mar. No entanto, esta vista é mais difícil de alcançar por se tratar de uma aldeia remota indiana no Vale Spiti, no estado de Himachal Pradesh.
O postal foi enviado pela Sachin. 

Image Courtesy: Gautam Pandey
A aldeia de Langza situa-se a uma altitude de 4400 metros e está dividida em duas secções, Langza Yongma, a parte mais baixa da aldeia e Langza Gongma, a parte alta. 
Vivem na aldeia apenas aproximadamente 137 pessoas, que dependem da agricultura e dos negócios para o seu sustento. A produção de embarcações de todas as formas e tamanhos e artesanato, como por exemplo, xailes, tapetes, etc, é comum em Langza e ajuda os moradores a ganhar dinheiro. 
A aldeia tem um antigo Lang ou templo, que é considerado como a sede de todas as divindades do Vale do Spiti.