sábado, 20 de maio de 2017

Taormina - Itália

Taormina, também conhecida como Pérola do Mar Jónico, é uma cidade na Sicília com cerca de 10.000 habitantes. 

© SIME * ph. Antonino Bartuccio
 A cidade está situada no Monte Tauro, uma colina de pedra de 200 metros acima do nível do mar, o que permite uma vista espetacular de qualquer ângulo que se olhe.
Taormina foi fundada em 396 a. C., neste monte, por colonos gregos fugidos da colónia grega de Naxos, que chamaram à cidade Tauromenion.  
No período romano a cidade tornou-se no destino de lazer de senadores e aristocratas, dando início à fama da cidade mais turística da Sicília. 

© SIME * ph. Alessandro Saffo
O teatro antigo de Taormina é uma das principais atracções da cidade.  É teatro grego, construído no século III a.C.. Por ter sido construído na sua maior parte em tijolo, o que o data à época romana, embora o plano e os arranjos estejam de acordo com os teatros gregos e não romanos; supõe-se então que a estrutura actual tenha sido reconstruída sobre os alicerces de um teatro mais antigo do período grego.
Com um diâmetro de 120 metros, este teatro é o segundo maior do seu tipo na Sicília (depois do de Siracusa). É frequentemente usado para óperas, peças de teatro e concertos.

© SIME * ph. Demetrio Carrasco
Outra das atracções é a Isola Bella, uma pequena ilha e reserva natural no Mar Jónico. Fica a curtíssima distância da costa, pelo que é possível, durante a maré baixa, chegar à ilha através de um pequeno trilho. 

ES-456442

Mais um postal de Espanha, um oficial desta vez. 
Este simpático texugo vive no Parque Natural Sierra de Cazorla, Segura e las Villas. Assim que me lembre, nunca vi um texugo ao vivo e este é o meu 1º postal com este animal. 

Editora y Distribuidora, El Olivo S. L. L. 
ES-456442, enviado pela Lisca.
Este parque natural, fundado em 1986, está localizado na província de Jaén. Com uma área de 2.099,2 quilómetros quadrados, é a maior área protegida em Espanha e a segunda maior na Europa. Foi declarada Reserva da Biosfera pela UNESCO em 1983 e também uma Área de Protecção Especial para aves migratórias em 1988.

Alcúdia - Espanha

Em Março a Heidi foi até Maiorca participar num torneio de parabadminton. Apesar de os resultados dos jogos não terem sido os melhores, ter ido à ilha já foi um prémio. 

Tullio Gatti Photo Gallery
O porto e  cidade de Alcúdia fica no nordeste da Costa de Maiorca e é uma das mais atraentes zonas de férias da ilha. É tido por um dos melhores destinos de férias em Maiorca para férias em família.
Alcúdia tem uma extensão de cerca de 10 km de praia ideal para famílias com muitas atracções e comodidades.
Aqui há praias limpas e pequenas calas (baías) e os calmos pinheirais de Aucanada. - in: https://www.ferias-espanha.pt/Alcudia

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Pueblos Blancos - Espanha

Quando marquei as minhas férias de Abril, a ideia era ir dar uma volta até à Aldaluzia. Quando andava a pesquisar sobre locais a visitar, para além dos que já tinha em mente, descobri os Pueblos Blancos, uma série de aldeias nas províncias de Cádiz e Málaga, caracterizadas pelo branco das fachadas das casas das aldeias, pintadas com cal para repelir o calor. Olvera e Setenil eram precisamente as duas aldeias que queria visitar. 
Infelizmente não deu para ir até lá mas, sem ter conhecimento deste meu plano, a Celina deu-me estes dois postais. Postais já tenho, só falta lá ir tirar fotos. 

© Ediciones A. M. * Fotografia: A. Murillo
Olvera é uma pequena aldeia localizada no coração das montanhas de Cádiz. O monumento principal da aldeia é a própria aldeia, com suas casas caiadas de branco, ruas íngremes íngremes em direcção à impressionante silhueta da sua igreja e castelo no topo da colina.
As colinas que rodeiam Olvera estão cheias de plantações de oliveiras que fornecem o melhor azeite na Andaluzia. Acredita-se que o nome da cidade está relacionado com a quantidade de oliveiras na área.

© Ediciones A. M. * Fotografia: A. Murillo
A aldeia de Setenil de las Bodegas foi construída entre as montanhas de pedras que fazem parte desta região. Andando pelas ruas é possível ver as gigantescas rochas percorrendo as fachadas das casas e dos comércios. A cidade que foi construída com a intenção de ser uma enorme muralha protegendo os antigos moradores de possíveis ataques medievais, hoje é atacada por milhares de turistas curiosos que se encantam com as paisagens de Setenil. - in: http://guiaviajarmelhor.com.br/setenil-de-las-bodegas-a-cidade-de-pedra/

quarta-feira, 17 de maio de 2017

La Alberca - Espanha

Alguns postais, muitos até, fazem-nos querer ir visitar um determinado local. Este é um desses postais. Nunca tinha ouvido falar de La Alberca mas depois deste postal e de ter visto imagens da aldeia, fiquei cheia de vontade de lá, até nem é assim tão longe daqui, apenas uma hora e meia. 
O postal foi oferecido pela Celina. 

© Ediciones A. M. * Fotografia: A. Murillo
La Alberca fica na província de Salamanca, comunidade autónoma de Castela e Leão e tem pouco mais de 1000 habitantes.
Em 1940 La Alberca foi declarada conjunto histórico artístico devido à sua arquitectura típica da serra de França. Faz parte da rede das Aldeias mais bonitas de Espanha.
Construída sobre colunas de granito e madeira, a Plaza Mayor de La Alberca apresenta uma estrutura típica de montanha.
As suas fachadas são atravessadas por uma série de varandas, iluminadas pelo brilho da cal esbranquiçada, mantendo um perfeito equilíbrio e harmonia através da combinação de madeira com granito. 
A originalidade das suas ruas, praças e casas é o resultado de uma arquitectura popular que tem sido mantida ao longo dos séculos. 

Forte de S. João Baptista - Angra do Heroísmo

Este ano o tema dos selos Europa são os castelos e fortificações. Vai daí, a Lurdes aproveitou logo para enviar uns quantos postais do Forte de São João Baptista, em Angra, com o selo correspondente. 
É pena nenhum dos "meus" castelos aqui perto ter sido contemplado com um selinho, se assim fosse também enviava uns quantos postais. 

Este monumento militar de grandes dimensões está situado no Monte Brasil, um antigo vulcão extinto, formando uma península na costa sul da cidade de Angra do Heroísmo, e duas bonitas baías (a de Angra e do Fanal), e seria parte dominante de um conjunto de fortificações que visavam a protecção da já importante localidade de Angra do Heroísmo. 

© Grafipost - Editores e Artes Gráficas, Lda

Construídas durante o período de domínio Espanhol do território, a Dinastia Filipina (1580-1640), tinham por objecto a protecção costeira dos agressivos ataques e pilhagens por parte de Piratas e Corsários, e também o aquartelamento das tropas Espanholas. Angra do Heroísmo era também muito importante devido ao seu posicionamento geográfico estratégico, passando por aqui muitas das Rotas primordiais de comércio transcontinental. 
A construção da Fortaleza iniciou-se em 1593, em pleno período de domínio Espanhol, denominada então Fortaleza de São Filipe. No contexto da Restauração da Independência Portuguesa, em 1640, aguentaram-se estoicamente as tropas Espanholas nesta Fortaleza durante onze meses, levando aquando da sua partida, diversas peças de artilharia, que lhes foram concedidas. De volta ao domínio Português, a Fortaleza é então dedicada a São João Baptista. 
A Fortaleza ficou também conhecida por, já no século XX, no período do Estado Novo, ter servido como prisão política. 
A Fortaleza de São João Baptista compreende cerca de 4 km de muralhas defensivas, envolvendo o próprio Monte Brasil, albergando no seu interior a Igreja de São João Baptista, a Capela de Santa Catarina e o Palácio dos Governadores, naquela que é considerada a maior fortaleza construída pela Espanha em todo o mundo. - in: https://www.guiadacidade.pt/pt/poi-fortaleza-de-sao-joao-baptista-18599

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Angra do Heroísmo

A Lurdes andou a mimar os amigos do postcrossing e hoje recebi não um mas dois postais enviados por ela. Um deles é esta vista aérea de Angra do Heroísmo, à qual junto outra vista de Angra enviada pelo Luís em 2015. 

© Predicado Inclinado
Nestes postais temos belas vista de Angra do Heroísmo com o Monte Brasil lá atrás.
O Monte Brasil é um antigo vulcão extinto que teve origem no mar e se juntou à cidade de Angra do Heroísmo. Actualmente é uma paisagem protegida e o parque natural da cidade, com espécies arbóreas e arbustivas de especial interesse e com excelentes miradouros. - in: http://pt.artazores.com/terceira/visita.php

© www.veracor.pt
Era mais ou menos esta a vista que eu tinha do meu quarto quando estive de férias na ilha Terceira. Disseram-me que era o quarto com melhor vista e acredito que sim. 

Caretos de Podence

Devo dizer que gosto imenso deste postal. Já o comprei algumas vezes e há poucos dias recebi um enviado pela Ana Rita. 
Há carnavais para vários gostos, com mais ou menos tradição, com máscaras ou quase sem roupa. Em Podence, uma aldeia no concelho de Macedo de Cavaleiros, o Domingo Gordo e do dia de Carnaval são da inteira responsabilidade dos Caretos.  Estas criaturas mágicas que usam máscaras e trajes exuberantes,  invadem as ruas da aldeia, correm, saltam, dançam e perseguem as raparigas solteiras. 

Forways Lda
Hoje em dia são uma atracção turística mas a tradição esteve em risco de se perder nos anos 60, por causa da guerra colonial e da imigração, que afastaram os homens desta aldeia. Felizmente, a tradição foi recuperada. 
Segundo o site oficial dos Caretos de Podence, os Caretos usam máscaras rudimentares, onde sobressai o nariz pontiagudo, feitas de couro, madeira ou de vulgar latão, pintadas de vermelho, preto, amarelo, ou verde. A cor é também um dos atributos mais visíveis das suas vestes: fatos de colchas franjados de lã vermelha, verde e amarela, com enfiadas de chocalhos à cintura e bandoleiras com campainhas. Da sua indumentária, faz também parte um pau que os apoia nas correrias e saltos. 

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Aldeias do Xisto

A Rede das Aldeias do Xisto integra 27 aldeias de 16 concelhos que se situam no centro de Portugal, no território que se situa entre Castelo Branco e Coimbra. É um território essencialmente constituído por montanhas de xisto, circundado e atravessado por uma boa rede rodoviária. - in: http://aldeiasdoxisto.pt/aldeias
Confesso que sei muito pouco sobre estas aldeias e das 27 que fazem parte desta rede, conheço apenas uma, Sobral de São Miguel. E dessas 27, ficam aqui postais de 5 delas enviados pelo Paulo.

Foto: Danilo Pavone
Gondramaz situa-se na vertente ocidental da Serra da Lousã. 
A aldeia estrutura-se a partir de uma rua principal que se sobrepõe à linha de festo, até ao limite em que o declive permitiu construções. Desta rua, sai uma rede de ruelas estreitas e sinuosas que apetece percorrer com curiosidade.
Gondramaz distingue-se pela tonalidade específica do xisto que nos envolve da cabeça aos pés. Até o chão que se pisa é exemplo da melhor arte de trabalhar artesanalmente a pedra. - in: http://aldeiasdoxisto.pt/aldeia/gondramaz

Foto: Danilo Pavone
Benfita é uma das "aldeias brancas" da Rede das Aldeias do Xisto. E é única aldeia no Mundo que exalta a paz com uma torre, um sino e um relógio. A torre sineira desta "aldeia branca" celebra o fim da II Guerra Mundial com 1620 badaladas todos os dias 7 de Maio. - in: http://aldeiasdoxisto.pt/aldeia/benfeita
Esta aldeia situa-se entre Côja e a Paisagem Protegida da Serra do Açor.

Foto: Danilo Pavone
 De malha urbana simples, de construção baixa e à base de xisto, Aigra Nova divide-se em três pequenas ruas, que a atravessam.
A nascente e o clima ameno são propícios à prática agrícola e aos vastos pastos. - in: http://aldeiasdoxisto.pt/aldeia/aigra-nova

Foto: Rui Martins
A 10 km do Centro Geodésico de Portugal , a aldeia de Água Formosa esconde-se entre a Ribeira da Corga e a Ribeira da Galega, numa encosta soalheira. 
Aqui ainda se encontram evidências das tradições antigas, como os vários fornos a lenha espalhados pela aldeia; mas também evidências de tradições ligadas à utilização da força da água.
Em Água Formosa, os declives das encostas são acentuados e os afloramentos rochosos uma constante. O casario encontra-se maioritariamente na margem esquerda da ribeira, tirando partido da sua exposição soalheira. - in: http://aldeiasdoxisto.pt/aldeia/agua-formosa

Foto: Danilo Pavone
Tal como Gondramaz e Aigra Nova, a aldeia da Pena também se situa na Serra da Lousã. 
Esta aldeia é o resultado perfeito da construção conjugando o xisto com o quartzito. 
As condições topográficas levaram a que a aldeia se desenvolvesse ao longo de um promontório, parecendo que o casario se encontra em desafio às leis do equilíbrio e à força da gravidade. - in: http://aldeiasdoxisto.pt/aldeia/pena

Capela do Monte da Srª da Mó - Arouca

Como já disse, gosto de igrejas, desde as grandes catedrais às capelas mais pequenas, de qualquer religião. 
Gostei desta capelinha super simples, situada a 7 kms de Arouca. 
Tal como o postal anterior, este também foi enviado pelo Paulo. 

Fotografia: Filomeno Silva
A Capela de Nossa Sra. da Mó, de contornos muito característicos, presume-se que seja do séc. XVI. 
Reza a lenda que a capela foi erguida em honra da Senhora que salvou um cristão da escravatura dos Mouros. Preso dentro de uma caixa, com uma mó por cima, aproveitou os nós da corda para rezar fervorosamente, alcançando o milagre da libertação. 
A festa em honra de Nossa Sra. Da Mó, comemora-se nos dias 7 e 8 de Setembro.

Castelo do Crato

Eu já andei pelos lados do Crato mas não sabia que por lá existia um castelo. Na verdade, hoje assemelha-se mais a um forte do que a um castelo. Seja como for, trata-se de um novo castelo na minha colecção.
Este foi um dos muitos postais enviados pelo Paulo

Fotografia: Raul Ladeira
O castelo do Crato, antigo castelo da Azinheira, data do século XIII e situa-se no ponto mais alto da vila. Foi doado no século XIII à Ordem do Hospital. Em 1330, a Vila do Crato era cabeça da Ordem de Malta, e no século XV procedeu-se à reconstrução do castelo e edificação da cerca urbana. No século XVII sofreu uma grande alteração, ao ser abaluartado e dotado de plataformas para a instalação de artilharia. As recentes obras de conservação e a construção de um centro cultural revalorizarm este espaço. - in: https://lifecooler.com/artigo/atividades/castelo-do-crato-vestgios/325661

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Igreja de Stª Mª do Castelo - Tavira

Como disse antes, a semana passada estive de férias e andei pelo Algarve. Tavira foi precisamente onde comecei a minha descoberta do sul do país. Foi lá que tive um mini encontro postcrossing, quer dizer, não foi assim tão mini, éramos 5 viciados em postais, eu, o Tiago, o Paulo, a Ana e a Celina e ainda uma amiga da Celina. Como em qualquer encontro que se preze, também neste houve postais para assinar e como é óbvio, enviei um para mim. Decidi enviar uma vista da Igreja de Santa Maria do Castelo ao qual junto aqui um outro que a Ninocas me enviou há 2 anos. 

© Edição Vistal * Foto © Art & Concept: Gustav A. Wittich
Construída na segunda metade do séc. XIII, no local onde antes se situava a mesquita de Tavira, a igreja de Santa Maria do Castelo foi originalmente um edifício de estilo gótico, como comprova o portal ogival, mas sofreu estragos consideráveis aquando do terramoto de 1755, pelo que foi necessário proceder à sua reconstrução.
O projecto ficou a cargo do arquitecto italiano Francisco Xavier Fabri, que teve a preocupação de manter a estrutura original da igreja – três naves e quatro tramos –, tendo aproveitado a cabeceira e algumas capelas laterais, caso da Capela do Evangelho, de estilo gótico, e da Capela do Senhor dos Passos, de estilo manuelino mas revestida com azulejos do séc. XVII.

Foto © ART & CONCEPT: Gustav A. Wittich
Nas paredes laterais da capela-mor observam-se duas inscrições medievais que assinalam a presença do túmulo de D. Paio Peres Correia e dos seis cavaleiros que morreram na reconquista cristã de Tavira.
A igreja matriz de Santa Maria do Castelo é monumento nacional e está aberta. - in: http://blog.turismodoalgarve.pt/2012/08/igreja-matriz-de-santa-maria-do-castelo.html

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Vila Nova de Milfontes

O distrito de Beja pode muito bem ser uma das minhas próximas descobertas em terras lusas. Julgo que é o único distrito por onde nunca andei. 
Vila Nova de Milfontes situa-se no distrito de Beja, na margem norte da foz do rio Mira. Encontra-se inserida no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. 

www.edigpostal.com
A Vera enviou-me no mês passado este postal com algumas vistas da vila.
Desde cedo apelidada de Princesa do Alentejo, (...) a Vila de Milfontes é uma vila pesqueira com uma forte ligação ao mar o que lhe confere uma beleza natural inigualável. As suas vastas e belas praias desertas, águas cristalinas e dunas douradas são o ex-libris da região. Em contraste com o belo panorama litoral, a paisagem interior é marcadamente reconhecida pelas típicas planícies alentejanas de sobreiros, entre outras espécies habitualmente observadas nesta região do país. - in: https://www.guiadacidade.pt/pt/poi-vila-nova-de-milfontes-14882

terça-feira, 2 de maio de 2017

Monthly Fav. Surprise RR - Março 17

Voltei de férias e voltei com muitos postais novos. Para além dos que comprei em terras algarvias, ontem arranjei mais uns quantos na feira de turismo cá da Guarda. Seguem-se muitas digitalizações nos próximos dias.

Apesar de estes serem postais de um RR de Março, estes postais chegaram há poucos dias, isto porque quem organiza o RR demora imenso tempo a enviar as moradas e passam-se meses sem fazer actualizações. Apesar de gostar do RR, não sei quando voltarei a participar. 

Éditions VALOIRE - ESTEL - BLOIS
A grande surpresa deste RR foi este postal enviado pela Ulla. Trata-se de um postal de um dos locais UNESCO franceses que me faltavam. As encostas, casas e caves de Champagne entraram para a lista do Património Mundial em 2005. 
A região do vinho de Champagne é uma região do vinho na província histórica de Champagne no nordeste da França. A área sobretudo conhecida pela produção do vinho espumante branco que ostenta o nome da região. 
A classificação da UNESCO engloba locais onde o método de produção de vinhos espumantes foi desenvolvido segundo o princípio da fermentação secundária em garrafa desde o início do século XVII até à sua industrialização inicial no século XIX, as encostas de vinhas e os lugares de produção, com as suas caves, mas também os centros de distribuição e venda.

A Nika enviou um postal de Minsk com a praça mais conhecida da cidade. 
A Praça da Vitória é uma atracção turística na capital da na Bielorrússia e também um lugar de peregrinação para os bielorrussos, lembrando aqueles que morreram na Grande Guerra Patriótica (Segunda Guerra Mundial)
Um dos lugares mais importantes na Bielorrússia, a Praça da Vitória de Minsk é dominada pelo enorme obelisco de 40 metros, um memorial aos mortos de guerra do país.

Photo by Rahmel-Archiv D
Gosto de receber postais de locais onde já estive mas basta um postal de lá e deste castelo eu já tinha este mesmo postal. Já no RR anterior a Stefanie me tinha enviado um postal repetido. Se eu não tivesse os meus albuns actualizados, ainda tinha desculpa, mas assim... 
Vi o castelo de Stolzenfels em 2011 quando fiz um passeio de barco ao longo do rio Reno, do Koblenz para Braubach. O castelo fica perto de Koblenz. 
Terminado em 1259, Stolzenfels foi usado para proteger o local onde os navios que cruzavam os Reno tinham de pagar portagens. 
Ao longo dos anos, o castelo foi sendo aumentado, foi ocupado por tropas francesas e suecas na Guerra dos Trinta Anos e finalmente, em 1689, destruído pelos franceses durante a Guerra dos Nove Anos. Durante 150 anos seguintes, as ruínas foram-se deteriorando, até que em 1815 foram dados como presente a Frederico Guilherme IV da Prússia pela cidade de Koblenz. Em 1826  o príncipe começou a transformar o castelo numa residência de verão. Apoiado pelo famoso arquitecto neoclássico Karl Friedrich Schinkel, o castelo foi completamente remodelado no estilo neo-gótico da época. 

Foto: Klaus Ender
Este postal também foi uma boa surpresa. Estava nos meus favoritos e foi a Ina que o enviou. 
Esta bonita capela de madeira encontra-se em Ralswiek, na ilha de Rügen, Alemanha mas foi construída na Suécia. De lá, todos os pedaços foram levados para esta ilha onde foi reconstruída em 1907.

Foto: Ivan Rilich
Eu tinha um postal da Câmara Municipal de Liberec nos meus favoritos, a Radana não conseguiu encontrar um postal igual mas enviou este, que na verdade é ainda mais bonito que o outro. 
A câmara municipal de Liberec é um edifício Neo-Renascentista construído entre 1888 e 1893, segundo o  projecto do arquitecto vienense, Franz Neumann.
O edifício tem uma fachada ricamente decorada, obras de arte integradas e vitrais muito raros. Acima do portal de entrada encontra-se um relevo escultórico do escultor vienense Theodor Friedl, mostrando o estabelecimento da antiga e da nova câmara municipal. No seu centro está uma figura feminina que simboliza a cidade; no lado esquerdo, figuras associadas à câmara original e à direitas figuras associadas à nova câmara municipal, incluindo o arquitecto Neumann. A torre tem 65 metros de altura.