segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Igreja Fortificada de Biertan - Roménia

Já aqui disse antes que tenho muita vontade de ir à Roménia e cada vez que recebo um postal de lá, fico ainda com mais vontade. Estive a ver imagens de algumas das igrejas fortificadas e são todas tão lindas. Já para não falar dos castelos, fortalezas e mosteiros. Ninguém quer ir comigo à Roménia?

A aldeia de Biertan, mencionada pela primeira vez num documento oficial em 1283, abriga uma das maiores e mais impressionantes fortalezas medievais da Transilvânia.
Rodeada por ruas e vinhas pitorescas, a igreja fortificada do século XV em Biertan está empoleirada no alto de uma colina no meio da aldeia. Três camadas de paredes defensivas com 10 metros de altura, ligadas por torres e portões, cercam o complexo, tornando a igreja impossível conquistar na época medieval.

Foto: © M. Dragomir
Apresentando arquitectura gótico tardia com portas pesadas e paredes exteriores duplas, a igreja possui o maior altar de madeira de vários painéis da Transilvânia e uma notável porta de madeira que em tempos protegia os tesouros da sacristia.
Os visitantes também podem admirar as nove torres que cercam a igreja. Dentro dos terrenos da igreja existem vários outros edifícios interessantes, incluindo a "prisão matrimonial". Os casais que desejassem divorciar-se ficavam "presos" durante duas semanas, para que pudessem ter certeza de que desejavam terminar o seu casamento. Durante essas duas semanas tinham de partilhar uma cama de solteiro, um prato e uma colher. Se se resolvessem reconciliar podiam sair mais cedo. Durante os três séculos que os bispos residiram em Biertan, apenas um casal acabou por se divorciar.
Juntamente com outras aldeias e igrejas fortificadas, Biertan e a sua igreja estão classificadas como Património Mundial da UNESCO, na lista com o nome "Aldeias com Igrejas Fortificadas da Transilvânia".
Opostal foi enviado pela Claudia.

PL-1433058

Alguns locais e monumentos na cidade polaca de Rybnik, no sudoeste da Polónia.

Fot. Dariusz Krakowiak
PL-1433058, enviado pela Ola.
A igreja no centro do postal é a Basílica de Santo António, a maior igreja da Alta Silésia.
Pode parecer antiga mas foi construída apenas entre 1903 e 1906.

UA-1620054

Um postal com a antiga sinagoga de Uzhgorod, uma cidade localizada no oeste da Ucrânia, na fronteira com a Eslováquia e perto da fronteira com a Hungria. É o centro administrativo do Oblast de Zakarpattia.

UA-1620054, enviado pela Inna.
A sinagoga foi terminada e dedicada a 27 de Julho de 1904 em estilo Gótico Flamejante que entrelaçou  elementos arquitectónicos do Neobizantino e do Neoislâmico. 
Desde a Segunda Guerra Mundial, o prédio serviu como a sala de concertos de Uzhgorod, apreciada pela sua acústica. Actualmente alberga a Sociedade Filarmónica Regional Transcarpática.
Todos os símbolos judeus foram removidos do edifício, embora, desde de 2012, haja uma placa na fachada que homenageia os 85 mil judeus do Oblast de Zakarpattia que foram assassinados no Holocausto.

domingo, 28 de janeiro de 2018

RU-6209522

Igreja de São Teodoro de Heracleia em Alushta, na Crimeia.
A construção desta igreja ortodoxa, em estilo gótico, começou em 1833. Os cidadãos de Alushta gostavam tanto do templo que ao longo dos anos foram tentaram torná-lo mais bonito e bem conservado. Nos anos 20 do século XX, o templo sofreu algumas mudanças: o altar da sacristia foi anexado bem como um novo trono.

RU-6209522, enviado pelo Dmitry.
As portas do templo foram fechadas em 1964 e passou a funcionar como um clube. Sofreu mudanças, o campanário foi destruído e o antigo templo perdeu sua aparência original.
O templo foi restaurado graças aos cidadãos de Alushta que tentaram preservar os valores históricos e arquitectónicos da cidade. Pediram então que o tempo fosse reconstruído em homenagem a São Teodoro de Heracleia, para salvá-lo da destruição total. Os fundos para a reconstrução foram alocados pela cidade com a ajuda de paroquianos.
Após a reconstrução, o templo apareceu em toda a sua glória.

RU-6165579

Um postal oficial da Rússia com a Fonte Romana do Jardim Inferior do Palácio de Peterhof.

Peterhof é uma das mais visitadas antigas residências dos czares russos, conhecida principalmente pelo  parque com várias dezenas de fontes e o grande palácio barroco.
 O grande palácio e as fontes estão situados nos chamados jardins superiores e inferiores (na verdade, a maioria das fontes está no jardim inferior).

RU-6165579, sent by Kate.
Os Jardins Inferiores são a peça central de todo o conjunto Peterhof. Sua área estende-se desde o Grande Palácio até ao Golfo da Finlândia. O conjunto de fontes dos Jardins Inferiores é um dos maiores do mundo e inclui cerca de duzentas fontes. A maioria deles foi construída sob Pedro o Grande.

FI-3146877

Já estamos no fim de Janeiro e ainda não caiu um nevão decente aqui na Guarda. Às vezes só chega em Fevereiro e eu estou a contar com isso.
Neve não deve faltar na Lapónia, de onde é este postal. 

FI-3146877, enviado pela Jussi.
Em Janeiro o sol sobe acima do horizonte e ilumina os dias gelados da Lapónia.
Diz a Jussi que no inverno, as temperaturas na Lapónia, podem chegar aos -40!!

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Cabo do Norte - Noruega

O ano passado a Ara foi duas vezes à Noruega, 1º às Ilhas Lofoten e depois, um bocadinho mais a norte, onde visitou o Cabo do Norte. Enviou-me de lá um postal com um selo também do cabo e ainda o respectivo carimbo. 
O outro postal, com o sol da meia noite, é um oficial recebido em 2011. 

 Foto: Hurtigruten / Richard Pitcairn Knowles

O Nordkaap, Cabo do Norte, situa-se no condado de Finnmark, Noruega.
O cabo ergue-se a 308 metros acima do Mar de Barents. Cerca de 200.000 turistas visitam este local todos os anos, sobretudo por causa do sol da meia noite.

NO-48902, enviado pela Damla.
O sol da meia noite é um fenómeno natural em que o sol não se põe durante os meses de verão. A duração do sol da meia noite depende do distância a que estamos do norte. No Cabo do Norte, a melhor altura para se desfrutar deste fenómeno, é de 14 de Maio a 29 de Julho.

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Castelo de Monfort - França

Um belo postal francês com um castelo em Vitrac, na região da Dordonha, no sudoeste da França.

o castelo Montfort teve uma história turbulenta, começando no famoso cátaro, Bernard de Casnac, que morava no castelo, e jurou "cortar em pedaços todos os católicos da região". Casnac atraiu as atenções de Simon de Montfort, que conseguiu sitiar o castelo e expulsar Casnac.
Há uma lenda popular que diz que a filha de Casnac foi queimada em Montfort e que seu fantasma ainda assombra o castelo.
O Château de Montfort passou por grandes mudanças, reconstruções e ampliações durante os 800 anos da sua história, mas continua a ser um monumento imponente.

Pas de la Casa - Andorra

Nesta altura do ano é capaz de haver muita gente a aproveitar as pistas de esqui em Andorra. Foi o que devem ter feito a Heidi e a Carla quando lá foram. Eu fui a Andorra mas não fiz nada disso, aliás, até nem vi muita neve. Postais é que havia com fartura. O 1º destes 3 foi comprado por mim e os outros foram enviados pela Heidi e pela Carla. 

El Pas de la Casa é uma estância de esqui, uma cidade e um passe de montanha na paróquia de Encamp, situada na fronteira com a França.

O  nome traduz-se literalmente como "a passagem da casa" e refere-se ao facto de que, até o início do século XX, havia apenas uma única cabana de pastor com vista para o passe. O passe marca a bacia hidrográfica dos Pirenéus, sendo o único ponto em Andorra, onde a água escorre para o Oceano Atlântico e é a nascente do rio Ariège. 

A uma altitude de 2.408 metros, é um dos pontos mais altos da rede rodoviária europeia.
As duas principais fontes de riqueza são o comércio, que gera um turismo fronteiriço, especialmente vindo de França, e os desportos de inverno, com as pistas de esqui de Grandvalira.

A estância de esqui de Pas de la Casa fica abaixo do passe do lado mais próximo da França e abaixo do Pic d'Envalira (2.827 metros). O seu primeiro teleférico foi inaugurado em 1957 e agora tem 31, 100 quilómetros de pistas e 6,26 quilómetros quadrados de terreno esquiável.
Grau Roig é um sector da estância de esqui de Grandvalira. Inclui pistas de esqui alpino e esqui cross-country. 

Dólmens de Antequera - Espanha

Et voilá, aqui está o 1º postal UNESCO do ano. Só consegui tê-lo graças à Lurdes que me enviou os postais de Angra do Heroísmo que o Jordi tanto queria. 
Em 2016, os dólmens, juntamente com duas montanhas estreitamente ligadas a este conjunto megalítico, foram declarados Património Mundial da UNESCO. Este postal mostra o dólmen de Menga, os outros dois são o dólmen de Viera e o Romenal. Os dois primeiros situam-se logo à saída da cidade de Antequera, enquanto que o Romenal fica a uns kms. 
Os dólmens Menga e Viera foram construídos provavelmente  entre 3500 e 3000 a. C. enquanto o Romeral foi construído mais tarde - em cerca de 2500 a. C.

Foto: Xavier Durán
O dólmen de Menga é o maior da Europa com quase 30 metros de comprimento. A maior pedra vertical pesa 180 toneladas. A título de comparação, a pedra mais pesada de Stonehenge, em Wiltshire, no Reino Unido, pesa 40 toneladas.
Este dólmen compreende três secções diferentes. O primeiro é um corredor aberto que leva a uma passagem ou secção de corredor de quatro pedras. Esta passagem leva à grande câmara funerária de forma oval.
O dólmen foi construído usando a "técnica ortostática", o que significa a construção de uma parede  "plantando" grandes pedras verticais sobre as quais eram colocadas outras pedras horizontalmente de modo a formar um telhado. Tem 27,5 metros de comprimento, enquanto a altura aumenta gradualmente de 2,7 metros na entrada até 3,5 metros na extremidade mais distante. O ponto mais largo é de 6 metros para a parte de trás, com um eixo de chão com 1,5 metro de diâmetro e 19,5 metros de profundidade. O eixo está alinhado com três pilares que suportam quatro pedras de telhado de 250 toneladas.
O dólmen de Menga é famoso pela sua localização geográfica. No solstício de verão, 21 de Junho, o sol da manhã brilha sobre o pico da Peña de los Enamorados e entra pelo corredor de entrada do dólmen. Este posicionamento muito exacto teria tido uma importância mística para as tribos pré-históricas que construíram o dólmen milhares de anos atrás.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

DE-6775018

Apesar do ID alemão, este é, como facilmente se pode ver, um postal espanhol. Já estive em Madrid umas 3 ou 4 vezes mas não é das minhas cidades espanholas preferidas. 

www.ediciones07.com
DE-6775018, enviado pelo Nikolai.
* O Palácio de Cibeles, conhecido como Palácio das Comunicações até 2011, é um palácio localizado na Plaza de Cibeles. Actualmente sede da Câmara Municipal, abriu em 1919 como sede da Correos, o serviço espanhol de correios e telecomunicações;
* Palácio Real, o maior palácio real da Europa Ocidental;
* Puerta del Sol, o centro simbólico de Madrid, onde as principais ruas da cidade se encontram;
* Las Ventas, a praça de touros mais famosa do mundo é um belo edifício Neo-Mudéjar;
* A Gran Vía é uma rua comercial localizada no centro de Madrid. Hoje, a rua é conhecida como a Broadway espanhola, e é uma das ruas com maior vida nocturna na Europa. É conhecida como a rua que nunca dorme. Começa na Calle de Alcalá e termina na Plaza de España.

Ponteareas - Espanha

Foi com este postal de Ponteareas que a Vanesa me desejou um feliz 2018. No que diz respeito ao correio, até está a ser, quanto ao resto, podia estar a correr melhor. 

© Ediciones Paris 2
Apesar de ser conhecida como ponte romana, na verdade esta ponte tem origens medievais. E pronto, não consegui saber muito mais que isto. 

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Toledo - Portugal

Desconhecia a existência de uma localidade chamada Toledo em Portugal mas parece que há mesmo, não sei é bem onde fica, devia ter perguntado à Leninha. 

Fotografia & design: Dadifoto - Actividades Fotográficas, Lda 
Ela foi com os seus alunos ao Centro de Interpretação da Guerra do Vimeiro e foi lá que viu este postal e achou que era perfeito para a minha colecção de velhotes. É sim senhora. 

Vencedor do Mês de Janeiro

A vencedora deste mês foi a Patrícia mas ela pensou que era eu. Quando recebi este postal também eu pensei que podia ser eu mas quando ela recebeu dois postais relativos a este jogo no mesmo dia, deixámos de ter dúvidas, foi mesmo ela a vencedora. 

Fotógrafo: Nuno Felix da Costa © 2002 Edições 19 de Abril
Apesar de ser uma fotografia bonita, não há muito para dizer sobre este postal. A foto foi tirada algures em Trás-os-Montes em 1980. 

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

8º Encontro de Natal

Se o Natal é quando o Homem quiser, um encontro de Natal é quando o pessoal do Postcrossing quiser e o ano passado foi em Novembro, exactamente um mês antes do Natal. Como dá para perceber por estes postais, o local escolhido foi Viana do Castelo. 
Neste encontro estiveram alguns dos suspeitos do costume, algumas caras novas e duas presenças internacionais. Quanto aos postais, foram enviados pelo Zé e pela Vanesa, pela Sofia, pela Inês e pelo Tiago. A Ninocas enviou um igual a este do Forte da Lagarteira, já enviado enviado o ano passado pela Inês. Obrigada a todos pela lembrança. 

desenho da autoria de Tiago Parreira
Este encontro teve direito a um postal personalizado. O Tiago inspirou-se nos lenços do namorados e o resultado foi este pelo postal. 
O lenço dos namorados é um lenço fabricado a partir de um pano de linho fino ou de lenço de algodão, bordado com motivos variados. É uma peça de artesanato e vestuário típico do Minho, sendo usado por mulheres com idade de casar.
Era hábito a rapariga apaixonada bordar o seu lenço e entregá-lo ao seu amado quando este se fosse ausentar. Nos lenços poderiam ter bordados versos, para além de vários desenhos, alguns padronizados, tendo simbologias próprias.
Era usado como ritual de conquista. Depois de confeccionado, o lenço acabaria por chegar à posse do homem amado, que o passaria a usar em público como modo de mostrar que tinha dado início a uma relação. Se o namorado (também chamado de conversado) não usasse o lenço publicamente era sinal que tinha decidido não dar início a ligação amorosa. - in: wikipédia

www.modernistica.pt
A Sofia optou por esta versão ilustrada dos trajes minhotos. 

 www.modernistica.pt
Falando em trajes, o da noiva é um dos emblemáticos e bonitos trajes do Minho. Será que quando a Inês se casar vai usar um destes? ;)
O tecido preto confere a todo o traje a solenidade exigida ao próprio ritual do casamento ou às poucas ocasiões, excepcionais, em que ele era usado. Para assinalar esses momentos, a rapariga colocava ao peito todo o ouro que possuía, mostrando, assim, o seu poder económico. Ambicionado por todas as raparigas casadoiras minhotas, este traje era objecto dos maiores cuidados e desvelos, logo guardado na arca, após as raras aparições em público, para um dia ser doado à filha ou à neta, como se de uma jóia se tratasse. Por vezes, serviria este traje, ainda, uma última vez, como mortalha. 
Composto por casaca de tecido de seda preta lavrada, ajustada ao corpo, formando uma pequena aba na cintura e contando com decoração em bordados aplicados de vidrilhos, galão, e fita de cetim pregueada, tudo em preto, saia de tecido preto de lã, com barra em veludo ricamente bordada em vidrilhos, decorada na orla com aplicação de fita e tira de cetim pregueada, avental de veludo preto, decorado com bordados em vidrilhos, formando a coroa real no centro, enquadrada por motivos vegetalistas, algibeira entre o avental e a saia, em forma de coração estilizado, bordada com vidrilhos, lenço branco de tule bordado com fio de seda, meias rendadas brancas e chinelas pretas bordadas em branco. No peito, sobre o fundo negro da casaca, sobressaem os ouros tradicionais, e, nas orelhas, usa-se os brincos à rainha. A rapariga leva, ainda, em mãos, com delicado bordado a ponto de cruz com motivos de simbologia amorosa, a segurar o ramo de noiva, um lenço de amor. - in: http://folcloredeportugal.blogspot.pt/2008/09/traje-de-noiva-minho.html

Grupo MJF
Na Igreja Matriz de Viana já se devem ter casado muitas moças a usar o traje de noiva minhota.
A Sé de Viana, embora apresente uma estrutura maciça bem ao gosto da arquitectura românica, é sem dúvida uma obra influenciada pela estética gótica, tendo a sua construção sido iniciada nos alvores do século XV. O portal apresenta um arco ogivado recortado por três arquivoltas profusamente decoradas, que são suportadas por seis esculturas que representam outros tantos apóstolos (S. Pedro, S. Paulo, S. João, S. Bartolomeu S. Tiago e Santo André). Este portal, tanto a nível estrutural como temático, denota certas afinidades com os portais galegos, nomeadamente com o da igreja de S. Martin de Noya. - in: http://www.cm-viana-castelo.pt/pt/percursos-culturais

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Poço da Ribeira do Ferreiro - Ilha das Flores

O Poço da Ribeira do Ferreiro é sem dúvida, dizem, o local mais bonito da ilha das Flores. Paraíso, inesquecível. imperdível, deslumbrante, lindo, fenomenal... são alguns dos adjectivos usados por quem já aqui esteve. Eu ainda não estive mas espero estar um dia. 

O Poço da Ribeira do Ferreiro também conhecido por Alagoinha, localiza-se na freguesia da Fajã Grande. É um dos locais mais bonitos da Ilha das Flores, e por isso a visita é obrigatória. 
Neste pequeno paraíso onde a vegetação o vai envolver, existe um pequena lagoa que encosta a uma falésia alimentada por cerca de 20 cascatas.

© Fotografia: www.aerografica.pt
Apesar do 1º postal ter sido comprado por mim, não foi nas Flores que o comprei, foi em São Miguel. O 2º, tal como os do post anterior, foi enviado pela Lurdes. 

Ilha das Flores

Quando se pensa nas ilhas dos Açores, as primeiras que vêm à cabeça são certamente as de São Miguel, Terceira, Pico e Faial. Serão, talvez as mais visitadas e onde toda a gente quer ir. Já estive na Terceira, em São Miguel, no Faial e quero ir às outras todas. Se falarem com a Lurdes vai dizer para ir às Flores, segundo ela, a mais bela de todas a ilhas. A julgar por estes postais que me enviou há dias, paisagens deslumbrantes é coisa que não falta por lá.

© Fotografia: www.aerografica.pt
O que dizer desta imagem??! Estas lagoas, Branca, Negra, Comprida e Seca, são 4 das 7 lagoas inseridas na Caldeira das Flores.

© Fotografia: www.aerografica.pt
A Ribeira das Casas localiza-se no concelho de Santa Cruz das Flores. Tem origem a uma cota de altitude de cerca de 800 metros, nos contrafortes no Pico da Burrinha. Desagua no Oceano Atlântico junto à Ponta do Baixio, do cimo de uma falésia com cerca de 500 metros de altura.

© Fotografia: www.aerografica.pt
 O ilhéu de Monchique é um grande rochedo oceânico, com 30 metros de altura, situado em frente à costa oeste da ilha das Flores. É o ponto mais a Oeste de Portugal e, se o grupo ocidental dos Açores for considerado parte da Europa (ainda que esteja na Placa Norte-Americana) é também o ponto mais a Oeste do continente europeu. Na altura em que a navegação era feita com base nos corpos celestes este ilhéu de Monchique serviu como ponto de referência para acertar as rotas e verificar os instrumentos de navegação. - in: wikipédia

© Fotografia: www.aerografica.pt
A baía da Alagoa, localizada perto de um assentamento desabitado, é uma extensão natural da Ribeira da Alagoa, a ravina e vale que divide a costa.
A baía da Alagoa conjuntamente com os seus ilhéus e a Baixa do Moinho constituem uma reserva natural sendo um sitio de interesse comunitário, que inclui uma área de 100 metros em torno dos ilhéus da Alagoa, para a protecção da flora e fauna marinhas, e especialmente para a população de garajaus rosados e comuns. - in: https://www.geocaching.com/geocache/GC32C28_baia-da-alagoa-flores-acores

© Fotografia: www.aerografica.pt
Fajã Grande, ocupando uma área de aproximadamente 12,55 quilómetros quadrados, é uma das freguesias mais povoadas do concelho de Lajes das Flores. 
A sensivelmente 2 kms a norte da Fajã Grande fica situada uma pequena povoação que dá pelo nome de Ponta da Fajã. Esta povoação existe desde o século dezasseis. 

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Europa RR - Grupo 53 * Castelos

Decidi participar neste RR escolhendo 2 grupos, este de castelos e um outro de igrejas, que ainda não está completo. Neste grupo de castelos era suposto receber 4 postais mas o que devia vir de Itália nunca chegou. 

© Schöning GmbH & Co. KG
Hanau é uma cidade localizada a 25 kms de Frankfurt e é lá, nas margens do rio Main, que se encontra o Palácio Philippsruhe. O castelo, cuja construção começou em 1700, serviu como residência de verão para o conde Philipp Reinhard de Hanau. Ao longo do tempo, um extenso parque foi criado à volta do palácio com uma orangerie e uma casa de chá.. Actualmente o Philippsruhe abriga um museu de história.
O postal foi enviado pela Svea.

© MS AGENCY
O meu, vosso, já conhecido castelo de Bratislava. Postal enviado pelo Laco. 
O Castelo de Bratislava, vista para a capital eslovaca, foi construído no século IX. Situa-se numa colina acima do rio Danúbio.
 Onze reis e oito rainhas foram coroados em Bratislava no passado.

A Susi, da Áustria, enviou este postal do castelo de Kottingbrunn, sobre o qual não encontro muita informação. Para além dela, o postal foi assinado por mais umas 12 pessoas que participaram num encontro.