sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Parque Eduardo VII

Acreditem ou não, nunca estive no Parque Eduardo VII. Ainda há uns quantos locais que desconheço na nossa capital. Talvez a Ana lá tenha ido. Depois de uns dias no Porto, e no dia seguinte ao nosso encontro, rumou a sul e passou mais de uma semana a descobrir Lisboa. 

Forways Lda
O maior parque do centro de Lisboa sobe uma das colinas da cidade, oferecendo uma das mais belas vistas da capital. 
Entre o vasto relvado encontra-se uma estufa criada nos anos 30, com várias espécies de plantas vindas de climas tropicais. É um dos espaços verdes mais importantes de Lisboa, considerado um autêntico museu vivo. Além de pequenos lagos e cascatas, obras de estatuária e centenas de espécies de plantas, esconde ainda uma estufa quente. No lado oposto vê-se um edifício com um exterior coberto de azulejos, que foi dedicado a Carlos Lopes (vencedor da maratona das Olimpíadas de Los Angeles), e que em breve será reabilitado para a realização de eventos culturais e desportivos.
É neste parque que se realiza a anual feira do livro, durante vários dias do mês de junho. 
O parque foi batizado com o nome de Eduardo VII, o monarca inglês que visitou Lisboa em 1903, cinco séculos depois da Aliança Luso-Britânica. 
No topo norte, onde se encontra um miradouro, está hasteada uma enorme bandeira de Portugal com 20 metros, e o Monumento ao 25 de Abril, inaugurado em 1997. - in: https://www.lisbonlux.com

PT RR - Grupo 143 * Surpresa de Janeiro '20

E já cá estão os postais surpresa de Janeiro. Nunca chegaram tão rápido mas nunca um grupo tinha sido tão pequeno. Como se costuma dizer, poucos mas bons e aqui ficam os postais do Óscar, do Tiago e do Rui. 

© GRAFIPOST - Editores e Artes Gráficas, Lda
Diz o Óscar que a Igreja Matriz de Vila Nova de Famalicão não é assim nada de especial mas que é mais bonita do que a nova igreja. Não sei como é a nova mas nova sugere-me arquitectura moderna e suspeito que, essa sim, não seja nada de especial. Esta do postal, data do século XVII / XVIII.  

© GRAFIPOST - Editores e Artes Gráficas, Lda
Embora se admita a existência de fortificações romanas e mouras no local, o mais provável é que este castelo tenha sido construído no século XI. Foi pertença das ordens dos Templários (que aqui tiveram a sua sede) e de Cristo, sendo alvo de várias demolições e reconstruções ao longo dos séculos, até passar finalmente para a posse da autarquia. 
A arquitectura é do tipo medieval, românica, com influências góticas e manuelinas. É um castelo simples e de pequenas dimensões, onde subsistem os restos da alcáçova, definida por quatro torres nos ângulos, uma porta suevo-visigótica e uma janela moçárabe. - in: https://lifecooler.com/artigo/atividades/castelo-de-soure/327701/

Postais de Setúbal
O Forte de São Filipe foi construído durante a ocupação espanhola, com início em 1582, no reinado de Filipe I, como forma de reforçar a defesa de Setúbal contra a pirataria (...).
Com a restauração da independência, em 1640, D. João IV manda ampliar as defesas e a sua adaptação ao uso de artilharia. 
Já no século XX, classificado como Monumento Nacional, a Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, fez obras de restauro e o forte foi adaptado para funcionar como pousada. - in: https://www.guiadacidade.pt/pt/poi-fortaleza-de-sao-filipe-de-setubal-14138

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

PT RR - Grupo 142 * Surpresa Dezembro '19

Os últimos postais de 2019 do RR tuga.

Fotos: Antº Macedo; David de Abreu; Carlos Reveles; Izhar Perlman; Sergi Zelman; Sérgio Duarte; Vera Sanches * © 2017 - Ed. 19 de Abril: 157
O ano passado o Rui enviou-me este mesmo postal, bem não é exactamente o mesmo porque o calendário do ano é diferente. As imagens são as mesmas e continuam as iniciais dos dias da semana em inglês. Porquê?!! ☹️

Nunes Almeida Editores
Já fui várias vezes a Lamego mas nunca visitei este capela. Quando lá voltar pode ser que a Ana Rita ma mostre. 
O templo de S. Pedro de Balsemão é o mais antigo de todos os monumentos de Lamego e, de acordo com alguns historiadores,  o segundo da Península Ibérica. A sua origem suévico-visigótica remonta ao séc. VII, ao tempo de Sisebuto (rei visigótico que chegou a cunhar moeda em Lamego).
No séc. XVII, a capela foi reedificada, sendo desta época a excelente talha que a reveste interiormente.
De raro valor histórico e arqueológico, o templo, com três naves, possui duas peças do séc. XIV dignas de menção: uma escultura da Senhora do Ó esculpida em pedra de ançã e o túmulo do Bispo do Porto D. Afonso Pires, esculpido em granito.
A Capela de S. Pedro de Balsemão conserva grande parte da sua traça original e a grandiosidade do seu interior preserva o ambiente misterioso de épocas distantes.
Integra as “Rotas Medievais do Vale do Douro”, em conjunto com outros exemplares do valioso património religioso construído no concelho de Lamego, e está classificada como Monumento Nacional. - in: http://www.cm-lamego.pt/conteudos.asp?bd=patrimonio&id_tema=2

© OVET
Nunca fui a Paris, não tenho intenção de lá ir em breve mas quando lá for faço questão de ir ao Sacré Coeur. Apetece-me sentar naquelas escadas e comer um gelado ou uma baguette!! O postal foi enviado pelo Paulo. 
A Basílica do Sagrado Coração (Sacré Coeur) é um dos lugares sagrados mais importantes de Paris. Está localizada no alto de Montmartre, uma colina de 130 metros de altura de onde se pode contemplar uma vista magnífica de Paris. 
A basílica, obra de Paul Abadie, começou a ser construída em 1875 e foi terminada em 1914. Foi consagrada como basílica aos cinco anos de sua construção, em 16 de outubro de 1919. - in: https://www.tudosobreparis.com/sacre-coeur

Editions RENE
Não tenho a certeza mas esta deve ser a torre da Basílica de São Miguel. Se não for, a Joana que me corrija. 
A basílica é uma igreja em estilo Gótico Flamboyant (também chamado de "Flamejante") em Bordéus, construída entre o final do século XIV e o século XVI. A torre com 114 metros de altura, foi construída no século XV.

domingo, 12 de janeiro de 2020

Monthly Fav. Surprise RR * Novembro ´19

2019 já lá vai mas ainda há algumas coisas pendentes. O último postal de Novembro do MFS RR, por exemplo, só chegou esta semana. Há uns tempos tinha-me queixado sobre a possibilidade dos postais de Outubro e Novembro se terem perdido mas acabaram por chegar todos. Em Novembro vieram quase todos da Ásia. 

Em Novembro aconteceu algo de que não gosto muito, receber postais sem qualquer identificação do local de onde são. Embora possa gostar dos postais, gosto sempre de saber de onde são. Neste caso a Tomoko não escreveu nada sobre o local e o Google images também não conseguiu localizar ou identificar a imagem. 

A Annie enviou um postal da cidade onde vive com a Ponte da Baía de Shenzhen, também conhecida como o Corredor ocidental de Hong Kong. Esta é uma ponte transfronteiriça que liga Hong Kong e Shenzhen. Foi inaugurada a 1 de Julho de 2007, o 10º aniversário do estabelecimento de Hong Kong como uma região administrativa especial da China. 

A Mesquita do Sultão Salahuddin Abdul Aziz Shah, em Shah Alam, é a mesquita do estado de Selangor, na Malásia. É a maior mesquita do país e também a segunda maior do sudeste da Ásia, depois da mesquita Istiqlal em Jacarta, na Indonésia. A sua característica mais marcante é sua grande cúpula azul e prata.
A mesquita foi encomendada pelo falecido sultão Salahuddin Abdul Aziz, quando ele declarou Shah Alam como a nova capital de Selangor. A construção começou em 1982 e terminou em 11 de Março de 1988.
O postal foi enviado pela Pfang. 

© Schöning GmbH & Co. KG
O Google images também não foi de grande ajuda em relação a este postal. O postal foi feito na Alemanha, a Katja enviou-o de lá mas não há nada no postal que identifique o local nem o moinho, ou seja, o postal pode até nem ser da Alemanha. 

Cabo Reinga - Nova Zelândia

Tenho poucos postais da Nova Zelândia e dos poucos que tenho, apenas 5 são oficiais.

NZ-208848, enviado pela Nicky. 
"O Cabo Reinga é a ponta mais noroeste da Península de Aupouri, no extremo norte da Ilha Norte da Nova Zelândia, exactamente onde o Oceano Pacífico se encontra com o Mar da Tasmânia. 
O nome do cabo vem da palavra Maori 'Reinga', que significa 'Submundo'. Outro nome maori é 'Te Rerenga Wairua', que significa o lugar do pulo dos espíritos. Ambos se referem à crença maori de que o cabo é o local em que os espíritos dos mortos entram no submundo. 

O farol foi construído em 1941 e aceso pela primeira vez em Maio desse mesmo ano. Foi totalmente automatizado em 1987.
O farol é um ícone da Nova Zelândia e um destino turístico popular, embora o farol não esteja aberto ao público.
Postal enviado pela Suzanne "keadamna" em 2008.

terça-feira, 7 de janeiro de 2020

Ruínas do Vihara Budista de Paharpur - Bangladesh

Hoje tive uma boa surpresa na caixa de correio. No passado mês de Agosto combinei uma troca com a Aditi para receber  um postal do terceiro e último local UNESCO do Bangladesh. Já tinha trocado uma vez com ela e tudo correu bem, o postal dela chegou bem rápido. Nesta 2ª vez, as semanas foram passando e o postal não chegava, pensei que se tivesse perdido. Afinal, não se perdeu, apenas deu uma grande volta e chegou são e salvo passados 6 meses depois de ter sido enviado. 

Durante um período de grandes mudanças na fé budista, foi em Paharpur que algumas das melhores mentes se reuniram para tentar entender tudo. Durante séculos, monges vieram ao grande complexo do mosteiro para discutir as questões mais profundas da humanidade. Paharpur tornou-se um dos centros intelectuais mais importantes da história e viu o surgimento de uma nova forma de budismo. O templo no centro do local seria usado como inspiração para os maiores monumentos budistas do sudeste da Ásia, incluindo Angkor Wat do Camboja e Borobudur da Indonésia.

O grande mosteiro de Paharpur foi estabelecido no século VIII e até ao século XII um dos centros intelectuais mais importantes do mundo .
O templo principal de Paharpur ergue-se do centro do local como uma manifestação física das novas ideias budistas aqui desenvolvidas. Foi a primeira vez que uma forma de cruz foi usada para o design de um templo budista. Ao redor das bordas do quadrilátero central estão as quatro longas paredes que compõem o mosteiro, cada uma com dezenas de divisões nas quais os monges teriam morado. 
Com linhas harmoniosas simples e uma profusão de decoração de placas de terracota esculpida, o mosteiro representa uma das maiores realizações artísticas de seu tempo. 

BG-138710

O 1º oficial do ano já chegou e não veio da Alemanha, nem da Rússia, nem tão pouco dos EUA, veio da Bulgária. Por acaso, a Bulgária é uma das minhas opções de viagem para este ano, pode ser que vá até Troyan visitar este mosteiro. 

BG-138710, enviado pela Margarita.
O mosteiro de Troyan é o terceiro maior mosteiro da Bulgária. Está localizado na parte norte do país, nas montanhas dos Balcãs, e foi fundado no final do século XVI, início do século XVII.
O Mosteiro de Troyan é, desde o século XVII, o lar de um dos ícones mais sagrados da Ortodoxia Búlgara, a Virgem das Três Mãos.