quinta-feira, 31 de julho de 2014

Velhota Sami - Finlândia

Não disse mas o postal anterior foi enviado pela "Marnie" e este também foi. Tal como o postal de Glendalough, esta velhota estava nos meus favoritos e fica muito bem na minha colecção de postais de idosos. 

Photo: Johan Antti Syväjärvi
Esta é uma velhinha Sami ou Lapã (Sami soa melhor). Os Sami formam o grupo étnico nativo da Lapónia  abrangendo as regiões setentrionais da Noruega, Suécia, Finlândia e da península de Kola, na Rússia. É um dos maiores grupos indígenas da Europa, totalizando cerca de 70 000 pessoas, das quais 17 000 vivem na Suécia, 35 000 na Noruega, 5 700 na Finlândia e 2 000 na Rússia.
As actividades tradicionais dos sami são a caça, pesca, agricultura e criação de renas, mesmo que uma minoria actualmente faça isso para viver e também já não tenha mais uma vida nómada. - in: wikipédia

Glendalough - Irlanda

Não são precisos mais postais para me convencerem a visitar Glendalough se algum dia for à Irlanda. Que belo lugar, consigo imaginar-me ali a admirar a paisagem, os edifícios medievais e a tirar dezenas de fotos. Este é um dos locais monásticos mais visitados do país. 

Photography reproduced from original artistic waork © Liam Blake
Glendalough é famoso pela sua paisagem, história, arqueologia e vida selvagem abundante.
O povoado monástico foi fundado no século VI por S. Kevin. A maior parte dos edifícios datam desde os séculos X ao XII.  Apesar dos ataques dos Vikings, Glendalough conseguiu ser uma das grandes fundações eclesiásticas e escolas de aprendizagem na Irlanda até 1214 quando os Normandos destruíram o mosteiro e as dioceses de Glendalough e Dublin se uniram. O povoado foi destruído por forças britânicas em 1398. 

A reconstrução do local começou em 1878. Entre as ruínas encontram-se uma torre, sete igrejas, casas, um cemitério e outros edifícios.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Norfolk Broads - Inglaterra

Como já disse anteriormente, para além de postais também gosto de escrever e receber cartas e faço parte de um grupo no FB dedicado a este passatempo. Muitos dos membros também gostam de postais e este mês realizou-se uma troca de postais. Eu enviei um para a Alemanha e recebi este da Inglaterra enviado pela Catherine. 
 Norfolk Broads é a maior e melhor zona húmida do Reino Unido. Esta multiplicidade de rios e lagos não é apesar do que se poderia pensar, uma paisagem natural, é sim o resultado da escavação intensiva de uma turfa na Idade Média para obter combustível.  Os poços vazios começaram a encher com a subida do nível das águas e agora formam uma rede com mais de 125 kms de vias navegáveis. 
A paisagem de Norfolk Broads oferece um ambiente de beleza, paz e vistas para lagos, rios, pântanos, igrejas e moinhos.  

Printed and Published by J. Salmon Ltd. 
Um desses moinhos é o Horsey, um moinho de vento de cinco andares construído em 1912 para bombear a água dos terrenos circundantes para que estes pudessem ser utilizados na agricultura. 
Esteve em funcionamento até 1945 quando foi atingido por um relâmpago. Foi restaurado nos anos seguintes e actualmente está aberto ao público. 
Os moinhos são um dos elementos mais marcantes na paisagem de Norfolk Broads, contudo os moinhos de vento foram substituídos por bombas eléctricas.  

domingo, 27 de julho de 2014

Castelo de Caernarfon - País de Gales

Na passada quinta-feira conheci o Paulo, um coleccionador de postais com quem troquei algumas vezes. Passou pela Guarda a caminho do Alentejo e quis fazer-me uma oferta, nada mais, nada menos que mais de 200 postais. Ah pois é!! Este foi um deles e é talvez o meu preferido. Para além da oferta fantástica, foi muito agradável passar a tarde com ele e a família e mostrar-lhes a cidade. 
Como disse, os postais são mais de 200 e são demasiados para mostrar todos, hei-de ir mostrando alguns nas próximas semanas.
Este é o castelo de Caernarfon, no noroeste de Gales. Antes deste castelo já existia no local um castelo de mota (fortificação medieval precursor dos castelos de pedra da Idade Média) e foi em 1283 que Eduardo I o substituiu pelo actual castelo. 
O castelo e a cidade foram o centro administrativo do norte de Gales e em consequência disso foram construídas defesas em grande escala. 
Houve uma ligação intencional com o passado romano do Caernarfon  o forte romano de Segontium está perto  e as paredes do castelo são uma reminiscência das muralhas de Constantinopla. 

CADW Welsh Historic Monuments
Apesar da aparência externa do castelo dar a sensação de estar quase completamente construído, muitos dos edifícios interiores não sobrevivem, e muitos dos planos de construção nunca foram acabados. A cidade e o castelo foram saqueados em 1294 quando Madog ap Llywelyn liderou uma rebelião contra os ingleses. Caernarfon foi recapturado no ano seguinte. Durante a revolta de Glyndwr de 1400 – 1415, o castelo foi cercado. Quando a dinastia Tudor, subiu ao trono inglês em 1485, as tensões entre galeses e ingleses começaram a diminuir e os castelos começaram a ser considerados menos importantes. Como resultado, o Castelo de Caernarfon foi entrando em estado de ruína.
Apesar de degradado, durante a Guerra Civil Inglesa o castelo foi tomado pelos monarquistas e foi sitiado três vezes pelas forças Parlamentaristas. Esta foi a última vez que o castelo foi usado na guerra. Castelo de Caernarfon foi negligenciado até o século XIX, quando o estado financiou o seu restauro.
Em 1911 foi usado para a investidura do Príncipe de Gales e o mesmo tornou a acontecer em 1969. 
Está classificado como Património Mundial da Humanidade, integrado no sítio Castelos-fortes e Fortificações do Rei Eduardo I no Antigo Principado de Gwynedd. 

quinta-feira, 24 de julho de 2014

A Pequena Sereia - Dinamarca

Já há bastante tempo que não recebia postais da Dinamarca e na verdade, até nem tenho muitos postais de lá. Este da famosa estátua da Pequena Sereia, estava nos meus favoritos e foi enviado pelo Chris. 

Edition Cromática S. L© Distribution Forlaget Svanen Aps
A estátua da Pequena Sereia é uma das principais atracções turísticas de Copenhaga. 
Inaugurada a 23 de agosto de 1913, a estátua foi um presente do cervejeiro dinamarquês Carl Jacobsenà cidade de Copenhaga.
A escultura é feita de bronze e granito e foi inspirada pelo conto de fadas de Hans Christian Andersen sobre uma sereia que faz de tudo para conseguir ficar com um príncipe por quem se apaixonouTodas as manhãs e à noite ela nada desde o fundo do mar e senta-se numa pedra sobre a água com a esperança de conseguir ver o ser amado príncipe.
Carl Jacobsen apaixonou-se pela personagem depois de assistir a uma apresentação de ballet baseada no conto de fadas no Teatro Real da Dinamarca em Copenhaga. Ficou tão cativado pelo conto de fadas e o ballet que encomendou ao escultor Edvard Eriksen uma escultura da sereia.
A escultura foi inspirada na bailarina Ellen Price, que em 1909 dançou o papel principal no bailado "A Pequena  Sereia"  no Teatro Real. No entanto a bailarina não quis posar nua para o escultor e acabou por ser a esposa deste a posar e servir de modelo para a estátua.
A Pequena Sereia já foi várias vezes vítima de vandalismo. Já por duas vezes ficou sem a cabeça, um dos braços foi danificado uma vez e foi várias vezes pintada com tinta.
Apesar de todos os maus tratos e sucessivos restauros, a Pequena Sereia permanece sentada na sua rocha a receber os milhares de turistas que a vão visitar ao porto de Copenhaga. 

Fábrica Van Nelle - Holanda

Assim à primeira vista ninguém diria que este edifício está classificado como Património Mundial, mas de facto está assim classificado desde o mês passado. A Fábrica Van Nelle em Roterdão, passou a ser 10º local classificado como Património Mundial na Holanda. 
O postal foi enviado pelo Mike. 

A UNESCO descreve este fábrica como ‘ícone do modernismo holandês’. Para isso contribuíram a utilização de materiais como vidro e aço e o volume resultante de luz e espaço. 
O edifício foi construído aproximadamente em 1920 como uma fábrica de café, chá e tabaco e teve um grande impacto no desenvolvimento da arquitectura modernista na Europa. Os arquitectos queriam a presença de luz, ar e espaço no edifício. A Van Nellefabriek estava bem à frente do seu tempo em termos de materiais utilizados e de sua forma. 
Suas características mais marcantes são as enormes fachadas de vidro criadas segundo o conceito de que um ambiente moderno, cheio de luz, e pensado na conveniência e praticidade faria com que os trabalhadores produzissem mais e melhor. A fábrica funcionou até 1995, e depois foi reformada para ser um espaço dinâmico para escritórios de empreendedores criativos.

terça-feira, 22 de julho de 2014

Lavertezzo - Suiça

Também é no cantão de Ticino que fica Lavertezzo, uma aldeia bem pitoresca deste cantão e da qual já falei anteriormente. Era para um local assim que eu precisava de escapar neste momento!! 
Obrigada Óscar por mais um belo postal.   

© photoglob Zürich
Lavertezzo é sobretudo conhecida pela Ponte dei Salti mas para além da ponte, também vale a pena visitar a Igreja Madonna degli Angeli, construída no século XVIII e que é a única igreja barroca no Vale Verzasca. 

domingo, 20 de julho de 2014

Monte San Giorgio - Suiça

O Monte San Giorgio é um local UNESCO também partilhado pela Suiça e pela Itália, isto quer dizer que preciso de um postal da Suiça e outra da Itália. Eu já tinha um outro postal deste local mas queria outro e o Óscar enviou-me este há poucos dias. Só fica a faltar um postal do lado italiano. 

©  Photographer Renato Bagattini * Distribution: photoglob.com
O  Monte San Giorgio situa-se na fronteira entre a Suiça e a Itália, mais concretamente no cantão suiço de Ticino e na província italiana de Varese.
Está inscrito na lista do Património Mundial da UNESCO desde 2003.
Este monte é um importante sítio fossilífero que contem fósseis completos e bem conservados. Há cerca de 240 milhões de anos este local encontrava-se numa lagoa tropical que abrigava peixes, moluscos e crustáceos. Pela sua posição junto à costa, encontram-se também formas de vida terrestre como répteis, insectos e plantas. Este sítio fossilífero foi classificado pela UNESCO como sendo "o melhor exemplo da vida marinha do Triássico".

Linha Férrea Rética - Suiça

Que nome mais feio para uma linha férrea, pelo menos em português não me soa lá muito bonito. Mas apesar de o nome não ser dos mais bonitos, esta linha deve proporcionar umas belas viagens de comboio, as paisagens devem ser fantásticas. Quando voltar à Suiça tenho que experimentar. 
Em 2008 esta linha passou a ser classificada como Património Mundial e é por ser um local UNESCO que o Óscar e a Doris me enviaram estes postais. 

 © photoglob Zürich
A Linha Férrea Rética (Rhätische Bahn) é a maior companhia férrea privada da Suiça. Conta com cerca de 381 kms de linhas situadas no cantão de Grisões.
Com o nome  de Linha Férrea na Paisagem da Albula e da Bernina, estão classificados 122 dos seus 381 km's, entre Thusis, Saint Moritz e Tirano, incluindo 144 pontes, 42 túneis e a paisagem circundante.
A linha localiza-se em território suiço e italiano, assim sendo, é um património compatilhado pelos dois países.

Este é um exemplo notável da utilização da ferrovia para superar o isolamento dos povoados nos Alpes Centrais no início do século XX e  ao mesmo tempo criar um impacto sócio-económico duradouro na vida das populações de montanha. 

sábado, 19 de julho de 2014

Schynige Platte - Suiça

O Damien ainda está de férias e há poucos dias foi até à Suiça. Queria ter ido às montanhas mas o tempo não estava muito convidativo e com certeza não iria valer a pena a viagem. Diz ele que há-de lá voltar até porque subir uma montanha num comboiozinho assim há-de ser bem interessante. 
Interessante é também o facto de ele ter usado no postal um selo da França e outro da Suiça. 

A paisagem na região montanhosa de Schynige Platte é caracterizada por uma estranha combinação de areia, rochas, pedras e belos prados verdes conhecidos pelo grande número de flores alpinas.

Há 120 anos que este pequeno comboio faz 25% da subida até ao terraço panorâmico e hotel de montanha. O Eiger, Mönch e Jungfrau são as grandes atracções lá em cima, mas a popular caminhada com vista para o lago Brienz e os jardins alpinos com cerca de 600 espécies de plantas, também merecem uma visita. 

DE-3275953 & DE-3263962

A lentidão voltou ao mundo dos correios, já começa a ser algo demasiado normal. Enquanto os meus postais não chegam ao seu destino, eu continuo a receber a um ritmo mais ou menos normal, podia ser melhor, mas pronto, enquanto chegam não me posso queixar muito. Estes vieram os dois da Alemanha. 

DE-3275953, enviado pelo Olaf.
Este é o interior barroco da Frauenkirche, Igreja de Nossa Senhora, em Dresden. Foi construída no século XIII mas foi destruída durante a Segunda Guerra Mundial. Durante anos as suas ruínas foram deixadas no local como um memorial de guerra, por decisão dos líderes da Alemanha Oriental. 
A igreja foi reconstruída após a reunificação da Alemanha. A reconstrução do exterior terminou em 2004 e o interior em 2005. 
O seu interior com cinco galerias semi-circulares representa uma unidade arquitectónica impressionante e de grande beleza. Combina o conceito de uma estrutura centralizada, focada no púlpito, na pia baptismal e no órgão. 

Krapohl-Verlag
DE-3263962, enviado pela Corinna.
Este é um postal que mostra a Capela da Graça em Kevelaer, uma localidade no estado alemão da Renânia do Norte-Vestefália. É um dos maiores locais de peregrinação no noroeste da Europa, acolhendo um milhão de visitantes todos os anos. 
A Capela da Graça atrai peregrinos de todo o mundo desde há 360 anos. Foi construída em 1654 para proteger uma imagem sagrada. É um templo pequeno, com uma plana hexagonal, mas ricamente decorado. Foi desenhada seguindo o modelo da capela de Scherpenheuvel na Bélgica. 

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Marienplatz, Munique - Alemanha

A Marienplatz é a principal praça de Munique desde a fundação da cidade em 1158. Esta praça é o coração da cidade, à volta da qual se encontram as principais ruas comerciais da cidade com todo o tipo de lojas e restaurantes. 

O 1º destes postais já me foi enviado há uns anitos, mais precisamente em 2007 após uma troca com o(a) Yukiko. Há poucos dias recebi um 2º postal enviado pelo Hannes. 

 © Fotoverlag HUBER
Durante a Idade Média realizavam-se nesta praça mercados e torneios. No centro da praça e apesar de não se ver nestes postais, está a Mariensäule - Coluna de Maria - erigida em 1638, que dá o nome à praça. Esta coluna erigida em 1638 comemora a fim da ocupação sueca.  
Actualmente, a Marienplatz é dominada pela Neues Rathaus, o edifício da Nova Câmara Municipal, construído entre 1867 e 1908 em estilo Neogótico, cuja principal atracção é o Glockenspiele. 

© Schöning GmbH & Co. KG 
A dois passinhos da praça encontra-se a Frauenkirch, a maior igreja da cidade. A igreja é visível de quase todos os pontos da cidade, uma vez que está proibida a construção de qualquer estrutura superior a 100 metros nas proximidades da catedral.
A igreja foi construída no século XV. 

domingo, 13 de julho de 2014

Castelo de Schwerin - Alemanha

Durante imenso tempo, o 1º destes postais do Castelo de Schwerin, esteve no meu album de favoritos à espera que alguém mo enviasse. Esse dia chegou e a Michèle enviou-mo juntamente com o postal do Palácio de Herrenchiemsee. Coincidência das coincidência, nessa mesma semana recebi um 2º postal do mesmo castelo, enviado como oficial. 
As águas do Lago de Schwerin reflectem o romântico castelo de conto de fadas, com suas inúmeras torres, cúpulas e alas. A sua construção foi ordenada por Frederico Francisco II, terminou em 1857 e tornou-se num símbolo impressionante de sua poderosa dinastia.
Foto: aeroverde.eu - Jochen Knobloch * © Schöning GmbH & Co. KG 
Situado numa ilha do Lago de Schwerin, o castelo de Schwerin é considerado uma das mais importantes edificações do historicismo na Europa. 
A aparência actual do castelo, com cinco alas, deve-se à reforma realizada por ordem do grão-duque de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, Frederico Francisco II. Ele escolheu, para isso, os melhores arquitectos da época. A imponente edificação tem 653 divisões com pisos de mosaicos, ricos entalhes em madeira e estuques nos tectos. O ponto alto é a sala do trono, com colunas de mármore de Carrara e portas de ferro fundido folheadas a ouro.

www.harenberg-kalender.de
DE-3274169, enviado pela Sílvia. 
Vale a pena ver também a vistosa galeria de antepassados, a sala de refeições e o quarto da torre, de forma circular e realizado como um salão de jardim, com vista panorâmica para o lago. Uma notável colecção de porcelana e concertos realizados regularmente no castelo complementam as atracções. Mas a atracção  principal do castelo, onde hoje está instalada a assembleia legislativa, é sua perfeita simbiose com o magnífico jardim barroco que o cerca.

sábado, 12 de julho de 2014

Palácio de Herrenchiemsee - Alemanha

O Rei Luís II da Baviera era um bocadinho excêntrico, talvez um pouco louco, como muitos o chamaram, mas deixou um imenso legado ligado à história da arte e arquitectura. Gostava de gastar dinheiro e gastou muita da sua fortuna para para financiar a construção de vários castelos. O Castelo de Neuschwanstein é o mais conhecido, mas há outros também capazes de impressionar os muitos turistas que visitam a Baviera. O Palácio de Herrenchiemsee é um desses exemplos. 

© Fotoverlag HUBER
O Palácio de Herrenchiemsee é um palácio Real localizado na Ilha de Herreninsel, no lago Chiemsee, o maior lago da Baviera a 60 km. de Munique.
O Neues Schloss (Novo Palácio) é o mais famoso dos edifícios do conjunto de Herrenchiemsee e o maior dos palácios de Luís II da Baviera. De certo modo, é um monumento à admiração do monarca bávaro por Luís XIV de França. Na grande Galeria dos Espelhos do palácio, o tecto está pintado com 25 quadros mostrando Luís XIV no seu melhor. 
O Novo Palácio foi desenhado por Christian Jank, Franz Seitz e Georg Dollman, tendo a sua construção decorrido entre 1878 e 1886. Foi idealizado como uma réplica à mesma escala do Palácio de Versailles, mas apenas a sua parte central foi construída antes da morte do Rei. 50 das suas 70 salas ainda permanecem inacabadas.
A primeira pedra do novo palácio foi colocada no dia 31 de Maio de 1878, tendo os trabalhos progredido muito rapidamente. Os tecidos e outros elementos da decoração interior haviam sido encomendados vários anos antes do início da construção. No entanto, ao fim de sete anos os trabalhos foram interrompidos por falta de dinheiro, mas Luís II pôde instalar-se no palácio, onde viveu apenas 16 dias. Pouco depois da morte do Rei, em 1886, os trabalhos pararam definitivamente. As vinte salas do palácio, cuja decoração já tinha terminado, encontram-se actualmente abertas à visita do público. - in: wikipédia

Abadia de Corvey - Alemanha

Desde que me lembro de seguir com atenção as escolhas da UNESCO para Património Mundial, acho que a Alemanha teve todos os anos um local classificado. Este ano foi a vez de a Abadia de Corvey ser classificada. 
Este postal enviado pelo Lars foi o 1º dos novos locais deste ano que chegou à minha caixa de correio. 

© type art satz & grafik - dortmund
A Abadia Imperial de Corvey foi uma abadia beneditina fundada na época carolíngia. Localiza-se a 2 km de Höxter, actualmente parte do estado de Renânia do Norte-Vestfália, na Alemanha.
A abadia foi fundada em 815 por dois primos do Imperador franco Carlos Magno, Wala e Adelardo, com monges da Abadia de Corbie (Picardia). Esta foi a primeira abadia fundada nas terras dos saxões, um povo pagão que havia sido conquistado e cristianizado na época de Carlos Magno, entre 772 e 803.
Inicialmente a abadia foi instalada em Hethis, um lugar de localização incerta, e em 822 foi transferida para a actual localidade de Corvey. Nessa época a abadia passou a estar sob a proteção direta do rei franco, Luís o Piedoso, e foi enriquecida com relíquias e terras. Entre 873 e 885 foi construída a famosa obra ocidental (Westwerk) da igreja. A parte mais antiga da abadia que ainda segue de pé é uma das poucas obras arquitectónicas da época carolíngia que ainda existem. 
Em 889 a abadia recebeu um dos últimos rei francos, Arnulfo da Caríntia, e a partir do século X foi um local de paragem frequente dos rei do Sacro Império Romano-Germânico: há o registro de 23 estadias de reis na Abadia de Corvey até 1203, o que dá uma ideia da importância do complexo durante essa época. - in: wikipédia

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Monte Etna - Itália

Tal como este ano, o ano passado a Itália também adicionou mais um local, e já tinha muitos, à lista do Património Mundial. O Monte Etna foi classificado o ano passado mas só há poucos dias é que recebi este postal enviado pela Ischa e assim o retirei da minha lista. Só já me faltam 4 locais para chegar aos 800. 

© Grafiche Milan cards
O Etna é um vulcão activo situado na parte oriental da Sicília (Itália). É o vulcão mais alto da Europa e um dos mais altos do mundo, atingindo aproximadamente 3329 metros de altitude, variando devido às frequentes erupções.
Além de ser o vulcão mais alto da Europa, o Etna é também a mais alta montanha da Itália ao sul dos Alpes. A extensão total da base do vulcão é de 1190 km², com uma circunferência de 140 km, o que faz do Etna o maior vulcão da Itália e da Europa, superando em quase três vezes o tamanho do Vesúvio.
É um dos vulcões mais activos do mundo e está praticamente em constante erupção. Ocasionalmente, o Etna pode ser bastante destrutivo, mas, normalmente, as erupções não oferecem grande risco à população que vive nas localidades próximas. Os solos vulcânicos em redor propiciam bons campos para a agricultura, com vinhedos e hortas espalhados no sopé da montanha e em toda planície de Catânia, a sul.
O Monte Etna foi inscrito como Património Mundial da UNESCO pela sua localização icónica, por ser a maior montanha localizada numa ilha e o vulcão mais activo do mundo, bem como devido aos variados ecossistemas nos seus arredores. 

quinta-feira, 10 de julho de 2014

FR-401335

Este é o Château de Falaise, um castelo bem antigo na cidade de Falaise, no departamento de Calvados, região da Baixa Normandia. 
O castelo é antigo e o postal também já tem uns anitos. 

FR-401335, enviado pela Aline.
Foi neste castelo que nasceu Guilherme o Conquistador por volta de 1028. Guilherme partiu para conquistar a Inglaterra, tornou-se rei e o castelo foi passando para os seus herdeiros até ao século XIII quando foi conquistado por Filipe II da França.
A posse do castelo passou por várias mãos durante a Guerra dos Cem Anos. Foi abandonado no século XVII e em 1840 foi classificado como Monumento Histórico da França. 

O Leão de Belfort - França

O Damien está de férias e enviou-me este postal do Leão de Belfort, uma enorme escultura do escultor francês Frédéric Bartholdi, cuja obra mais famosa é a Estátua da Liberdade.  

Photo © Olivier Anger
Esta escultura foi terminada em 1880 e foi totalmente feita com arenito vermelho. Os blocos foram esculpidos individualmente e depois foram transportados para junto do castelo de Belfort onde foram montados. A obra tem 22 metros de comprimento e 11 metros de altura. 
O leão simboliza a resistência francesa durante o Cerco de Belfort, um ataque Prussiano  de 103 dias (de Dezembro de 1870 a Fevereiro de 1871). A cidade foi protegida dos 40,000 Prussianos por apenas 17,000 homens e só 3500 deles eram militares.