sábado, 13 de outubro de 2012

Praga - Rep. Checa

Praga, Praga, a cidade com que ando a sonhar. Há tempos falei em Edimburgo e disse que era uma das opções para uma viagem no ano que vem. Se Edimburgo é uma das opções, Praga é a 1ª opção, mas como a decisão de ir não depende só de mim, resta esperar mais um pouco.
Quem já lá foi e gostou muito, foi a Kati e enviou-me este postal de lá. Para quem ainda não foi lá, aqui ficam 10 razões para visitar a capital checa.

1. Beleza. Esta é de facto uma nota dominante em toda a relação que se mantém com Praga. Não se limita à beleza que o turista espera habitualmente, reflectida em monumentos e locais famosos. Não. A estética é levada muito a sério pelos checos, que colocam um imenso esmero em tudo o que tocam, no sentido de o tornar bonito. E depois, a beleza natural, presente nos parques, jardins e florestas de Praga.
2. Segurança. Não é todos os dias que nos podemos dar ao luxo de sentir seguros. Isto é, se não estivermos em Praga. Aqui, ninguém tem medo de sair à noite, de circular por lugares ermos, seja lá onde for e a que horas for.
3. Classicismo. Praga é uma das capitais imperiais da Europa. Muita História se fez por aqui, e isso sente-se. Durante séculos a nossa civilização gravitou em redor destas grandes cidades da Europa Central. Figuras de projecção mundial, como Einstein e Kafka pisaram estas ruas, que se mantiveram inalteradas ao longo dos séculos.

  © KINA Italia/L.E.G.O
4. Preços. Apesar de já não ser o achado que era logo após a queda do Comunismo, Praga é ainda uma cidade barata, sobretudo do ponto de vista do turista: comer e beber, cultura, transportes...
5. Acessibilidade. Se escolher um alojamento central, pronto. Tudo o que tem a fazer é caminhar um pouco em redor, e terá acesso a todos os pontos gloriosos da cidade de Praga. Trata-se de uma cidade cujo centro histórico é bastante compacto, e, sobretudo quando visita pela primeira vez, o turista não sentirá necessidade de se afastar deste núcleo.  De resto, a rede de transportes públicos é exemplar, com os veículos a passar imperetivelmente à hora que consta no horário, e a cobrirem toda a cidade de forma eficiente e rápida.
6. Centralidade. Praga encontra-se no centro do país que se encontra no centro da Europa. Parece mentira mas não é. Praga é de facto o centro da Europa. Isto, em termos prácticos significa duas coisas: torna-se muito simples viajar pela República Checa estando baseado na sua capital; mas talvez mais importante que isso é a facilidade com que chega a outras cidades famosas da Europa: até Berlin sao 280 km; Dresden fica a pouco mais de 100 km; Budapeste, a 430 km; Viena, a 250 km; Cracóvia, 400 km. Todos estes destinos se alcancam facilmente, de comboio ou autocarro.
7. Variedade. Praga oferece de tudo, para todos os gostos, sem limites. O que quer que aprecie, que goste, que o divirta, vai encontrar aqui. Cultura. Vida nocturna. Comércio. Monumenos deslumbrantes. Passeios na natureza. Gastronomia. As opções são imensas, o tédio, um inimigo desconhecido. Até do ponto de vista climatérico reina a diversidade: divirta-se com a neve de Inverno ou aprecie o ambiente relaxado dos longos dias de Verão; disfrute da natureza verdejante da Primavera, ou fascine-se com os tons dourados que tudo cobrem no Outono.
8. Comunicação. Assumindo que se safa com o Inglês, não terá dificuldades em Praga; não significa isto que seja de esperar chegar a um qualquer restaurante ou loja, desatar a falar em Inglês e esperar que tudo corra às mil maravilhas. Mas com esforço aqui, perspeicácia acolá, as coisas vão ao lugar. Até porque nos percursos usuais do turista regular, as pessoas estão mais do que habituadas ao Inglês de ocasião, que serve para desenrascar o que for necessário.
9. Genuinidade. Num mundo cada vez mais global, os Checos resistem ainda às pressões descontroladas do exterior. O Europeismo não é lá muito popular, e eles saberão porquê. Depois de séculos a serem dirigidos por capitais estrangeiras, não estão com muita vontade de serem agora controlados por Bruxelas. Nas ruas, vêem-se algumas faces orientais, provavelmente vietnamitas... e pouco mais. Praga não é uma cidade multicultural, e isso encerra alguns pontos positivos: Praga é Checa, em toda a sua extensão. E os Checos não vivem para agradar aos forasteiros. São eles próprios, vivem à sua maneira, e se observar com atenção, verá uma atitude de vida que já rareia no nosso mundo: genuina e local.
10. Notoriedade. Praga é um dos dez destinos turísticos à escala mundial. Ou seja, é notoriamente interessante. Pense assim: se toda esta gente, proveniente de países dos cinco continentes e com um substracto cultural distinto, escolhe Praga, então alguma razão existirá. Além disso, este extenso mercado beneficia o turista nos mais pequenos detalhes: é fácil encontrar informações sobre Praga, existe uma extensa estrutura vocacionada para o turismo, o Governo mantém um controle estricto sobre os agentes turísticos locais. - in: http://www.visitar-praga.com.pt/artigos/009-dezrazoesparavisitarpraga.html

1 comentário:

Poppy disse...

É sem dúvida das cidades que também quero muito visitar :)