quarta-feira, 27 de julho de 2011

Encontro do 6 Aniversário do Postcrossing

No passado dia 14 o Postcrossing fez anos, 6 aninhos e tal como nos 2 anos anteriores, este ano também houve um encontro de aniversário. Realizou-se dia 16 em Tomar. Tal como o ano passado, este ano também não fui :( mas os meus amiguinhos Paula, Zé "piloto" e a Vitória, lembraram-se de mim e enviaram-me estes bonitos postais.



O encontro realizou-se uma semana depois da Festas dos Tabuleiros, uma tradição que só se realiza de 4 em 4 anos.
É uma das manifestações mais antigas de Portugal e a sua origem encontra-se nas festas de colheita à deusa Ceres. A sua cristianização pode dever-se à Rainha Santa Isabel, tendo por base a Congregação do Espírito Santo. Esta festa manteve as suas características até ao século XVII. As mudanças feitas a partir daí permitiram uma maior grandiosidade à Festa. A tradição continua e as suas cerimónias permanecem: o Cortejo das chegadas dos Bois de nome Cortejo do Mordomo, o Cortejo dos Tabuleiros, a sua bênção, a forma do tabuleiro, os vestidos das raparigas que transportam os Tabuleiros e a Pêza ou distribuição do pão e da carne. A principal característica desta Festa é o Desfile ou Procissão onde desfilam inúmeros tabuleiros que representam as dezasseis freguesias do concelho. Percorre as principais ruas da cidade, num percurso de 5 km. As ruas enfeitam-se de colchas pendentes nas janelas, onde se encontram milhares de visitantes e são lançadas pétalas, entusiasticamente, sobre o Cortejo.



O Tabuleiro deve ter a altura da rapariga que o leva à cabeça, sendo constituído por trinta pães enfiados em cinco ou seis canas que partem de um cesto de vime ou verga e é rematado ao alto por uma coroa encimada pela Pomba do Espírito Santo ou pela Cruz de Cristo. Tabuleiros decorados com flores, pão e espigas de trigo desfilam pelas ruas de Tomar. - in: wikipédia


Graças à Vitória a minha wishlist de Portugal tem vindo a ficar mais pequena. Desta vez enviou-me este postal da Igreja de Santa Maria do Olival.

Ao contrário da quase totalidade dos monumentos tomarenses, fica na margem esquerda do rio Nabão. Remonta ao século XIII, como panteão dos Mestres da Ordem dos Templários. Ilustra a transição do estilo românico para o gótico, salientando-se na fachada uma grande rosácea que encima o pórtico de quatro arquivoltas. Sobre a rosácea, está a marca dos cavaleiros templários, o Signum Salomonis. No interior podemos observar uma imagem da Senhora do Leite, na capela-mor, da autoria de Diogo Pires-o-Velho. Actualmente apenas estão nesta igreja os monumentos funerários de Guladim Pais, fundador da cidade e de D. Gil Martins, primeiro mestre da Ordem de Cristo. - in: http://www.lifecooler.com/edicoes/lifecooler/desenvRegArtigo.asp?reg=349865

Sem comentários: