segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

RU-3927994 & RU-3927996

Agora tenho dois oficiais da Rússia. O 1º vem de Vladivostok e mostra a Igreja da Intercessão da Mãe de Deus, o 2º mostra alguns dos símbolos da Rússia. 

 Photo by Georgiy Khruschov
RU-3927994, enviado pelo Lubov.
Há cerca de 40 capelas ortodoxas russas em Vladivostok, a maior e mais impressionante é a Igreja da Intercessão da Mãe de Deus.
A primeira igreja em honra da intercessão da Mãe de Deus foi construída em 1902 no local do cemitério da cidade e tinha capacidade para setecentas pessoas. Após a subida dos soviéticos ao poder soviético em 1923, o cemitério foi fechado e cerca de 10 anos depois a igreja foi destruída por uma explosão. 
Em 1991 foram feitos peditórios para restaurar a Igreja da Intercessão, no entanto, a sua construção foi adiada por várias razões. Por fim, a construção começou em Setembro de 2004. Em Março de 2007 os 10 sinos foram consagrados e e instalados no campanário no mês seguinte.
Esta nova igreja pode acomodar até 1.000 pessoas, e sua aparência é o mais aproximado possível da igreja original. 

RU-3927996, enviado pela Olga.
Todos os países têm os seus símbolos oficiais e não oficiais, a Rússia não é excepção e este postal mostra alguns deles.
Samovar - a palavra russa samovar significa literalmente "auto-ebulição."É  um utensílio culinário utilizado para aquecer água e servir chá, sendo muito apreciado pelos czares. Pode substituir a garrafa térmica, com café, chá, chocolate, leite e todo o tipo de bebidas quentes. 
Bayan - é um tipo de acordeão de botões cromático desenvolvido na Rússia no início do século XX.
Balalaika - é um instrumento de cordas que se assemelha a uma guitarra, mas tem uma forma triangular e apenas três cordas (ou dois, em alguns casos).
Valenki - ou botas de feltro, são o calçado nacional russo. 
Matryoshka - é o símbolo mais famoso da Rússia e da lembrança russa mais popular em todo o mundo. É um conjunto de bonecas de madeira aninhados umas nas outras. A imagem pintada é frequentemente uma mulher vestindo um traje tradicional do russo decorado com flores e padrões.

domingo, 27 de dezembro de 2015

Capela da Madona - Moscovo

Neste postal, enviado pela Tatiana, estão 2 bonitos templos religiosos em Moscovo, a Catedral de Cristo o Salvador e Capela da Madona (que nada tem a ver com a cantora). Este postal estava nos meus favoritos por causa da pequena capela. 

A pequena capela de madeira, dedicada a Madona, Virgem Maria, situa-se perto da Catedral de Cristo o Salvador. Construída em 1995, a capela tornou-se um local para rezar pelo projecto de reconstrução da catedral e pelos trabalhadores e artistas que trabalhavam na sua reconstrução. 

sábado, 26 de dezembro de 2015

Jyväskylä - Finlândia

Estes postais são ambos de Jyväskylä e foram ambos enviados pela Heidi. O primeiro é de um encontro e o 2º é para assinalar os 10 anos da Heidi no Postcrossing. 

Kuva: J. Laine
Jyväskylä é a nona maior cidade do país e a maior da região da Finlândia Central. 
Por vezes chamada Atenas da Finlândia, Jyväskylä tem como lema "cidade das ciências e das artes". Dos vários institutos de formação na cidade, a Universidade de Jyväskylä é hoje a mais importante.


No topo da colina Harju tem-se uma das melhores vistas de Jyväskylä. A subida faz-se através das escadas de Nero, assim chamadas em homenagem ao antigo engenheiro civil Oskar Nero. 

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

FI-2551781

Um bonito lobo da tundra, acho eu, vindo da Finlândia.

Photographed and published by Janne Harala
O lobo da tundra (Canis lupus albus) é uma subespécie do lobo cinzento, nativo da tundra da Eurasia e das zonas de floresta-tundra desde a Finlândia até à península de Kamchatka na Rússia.
Na década de 20 do século passado, a população de lobos da Finlândia foi vítima da caça intensa. Em 2012 havia cerca de 180 - 200 lobos a viver na Finlândia. Esta população faz parte de uma grande população de lobos russos. Em toda a Rússia existem cerca de 30 000 lobos, mas logo a seguir à fronteira, a , n Karelia, vivem apenas 350 indivíduos. 

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

O Museu Britânico - Inglaterra

A Laerke encontrou-se com a Elizabeth em Londres e enviou-me este postal do Museu Britânico. 

Featuring photographs by Dudley Hubbard, Philip Sayer and Simon Tutty
O Museu Britânico em Londres, fundado em 1753, foi o primeiro museu nacional público do mundo. Desde o seu início, o museu tem entrada gratuita. A sua notável colecção, de quase oito milhões de peças, testemunha mais de dois milhões de anos de história humana. Essa colecção inclui peças como a Pedra de Roseta, os frisos do Partenon de Atenas, conhecidos como a coleção de mármores de Elgin, trazidos ao museu por Lord Elgin,  múmias egípcias, entre outros objectos.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Mar de Wadden - Dinamarca

Depois dos postais de novos locais UNESCO da Bélgica, segue-se um de um local novo na Dinamarca. O postal foi enviado pela Christa e mostra lá ao fundo a ilha Rømø, uma das ilhas no Parque Nacional do Mar de Wadden ou Frísio, que desde 2014 está na lista do Património Mundial. 
O Mar de Wadden é de particular importância, porque é uma das áreas de maré mais valiosas do mundo, sendo localizado no meio das rotas migratórias do Oceano Atlântico Oriental. Ela atrai entre 10 a 12 milhões de aves migratórias que todos os anos utilizam o litoral como paragem e onde permanecem durante o inverno.
Além da avifauna, esta vasta zona húmida com kms de praias é o lar da maior população de focas manchadas da Dinamarca, sendo praticamente garantidos os avistamentos ao longo dos meses de Verão.

Foto: Trojaborgs Forlag
Rømø é uma ilha dinamarquesa no mar de Wadden. A ilha tem 650 habitantes, uma área de 129 km²  e é a mais meridional das ilhas do Mar de Wadden da Dinamarca. Está ligada ao continente através de uma estrada construída sobre um dique. 

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Mina Blegny - Bélgica

Não foi fácil mas finalmente consegui postais de todos os locais UNESCO da Bélgica. Este, tal como o postal do Canal do Centro, foi enviado pela Natália.
A Mina Blegny é um dos quatro antigos locais de exploração mineira na região belga da Valónia. Principais sítios mineiros da Valónia entraram para a lista do Património Mundial em 2012 por "serem um exemplo de arquitetura utópica dos primórdios da era industrial na Europa com um conjunto industrial e urbano extremamente integrado...".
Blegny e as outras três minas, Gand-Hornu, Bois-du-Luc e Bois du Cazier, são as minas de carvão dos séculos XIX e XX, mais bem preservadas da Bélgica.  

© Blegny-Mine
As minas de carvão da Valónia foram em tempos das mais produtivas na Europa Ocidental, mas na década de 1970, uma após outra, as minas foram forçadas a encerrar porque a extracção do carvão tornou-se  economicamente inviável. A Mina de Blegny, perto de Liège, foi uma das últimas a cessar a produção (em 1980). Poucos meses depois as autoridades decidiram preservá-la para que as futuras gerações pudessem apreciar o trabalho árduo que os mineiros tiveram de suportar, e o enorme contributo que deram para que a  Bélgica pudesse prosperar.
Blegny é a única mina na Europa continental, onde se pode descer para as galerias subterrâneas e, literalmente, tocar o rosto de carvão a uma profundidade de 30 e 60 metros. Algumas das brocas de mineração continuam a trabalhar, e ao visitante é dada uma demonstração surpreendente do ruído, das condições de superlotação e as trevas em que os homens que viveram e morreram no subsolo, tinham de suportar.
De volta ao solo, alguns dos edifícios de superfície também foram preservados, incluindo os edifícios onde o carvão era lavado e separado, a galeria onde os mineiros iram buscar os seus materiais de trabalho e os chuveiros.

sábado, 12 de dezembro de 2015

Canal do Centro - Bélgica

Para ter postais de todos os locais UNESCO da Bélgica, faltam-me 2 postais, que consegui graças à Natália. O primeiro desses postais a chegar foi este do Canal do Centro. 

O Canal do Centro, juntamente com outros canais, une os cursos dos rios Mosa e Elcalda. Tem 20.9 Km de extensão. 
Para que os barcos pudessem ultrapassar os desníveis ao longo do canal, construíram-se quatro elevadores hidráulicos.  
Os elevadores e o canal estão na lista da UNESCO desde 1998. 

© Photos F. T. P. H.: C. Carpentier
O canal, os elevadores e estruturas associadas, constituem um exemplo extraordinariamente bem preservado e completo da paisagem industrial do final do século XIX. Dos oito elevadores hidráulicos construídos no final do século XIX e início do século XX, os únicos no mundo que ainda existem na sua condição original de trabalho são os quatro elevadores do Canal do Centro.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Mons - Bélgica

 Gostei muito de viajar pela Bélgica e fiquei com vontade de visitar mais algumas cidades no futuro. A Raquel foi a um encontro em Mons em Março e depois de ter recebido o postal dela pesquisei sobre a cidade e parece-me bem interessante, é hipótese para uma próxima visita ao país. Em Agosto a cidade voltou a receber mais um encontro Postcrossing, a Raquel este presente mais uma vez e enviou-me outro postal de lá. 

© Edit. Thill, S. A., Bruxelles
Mons, conhecida como a capital cultural da Valónia e capital da província de Hainaut, situa-se no sudoeste da Bélgica. Este ano, juntamente com a cidade checa de Plzeň, Mons é a Capital Europeia da Cultura. 
Das imagens no postal apenas não consigo identificar o edifício no canto inferior esquerdo. Nas outras imagens estão o edifício da Câmara Municipal; o campanário que está classificado como um local UNESCO; uma estátua de bronze de um macaco que se encontra na fachada da Câmara Municipal e que é um símbolo muito popular da cidade; um festival local, provavelmente a  Lumeçon, a recriação de uma luta entre São Jorge e o dragão e finalmente a igreja colegiada de Sainte-Waudru. 

Photo de S. Santarelli
O campanário de Mons é um dos 33, se não me enganei a contá-los, campanários belgas que constam na lista do Património Mundial da Humanidade, juntamente com mais uns quantos franceses.
É o único campanário belga em estilo barroco. A sua construção iniciou-se em 1661 e terminou em 1672. 
Em tempos serviu para avisar a população em caso de incêndio e também para a alertar contra bombardeamentos durante a Segunda Guerra Mundial. 

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Potsdam - Alemanha

Estes são todos os postais que tenho de Potsdam. Uns são oficiais, outros resultaram de trocas, RR ou tags. 

Potsdam é uma cidade do leste da Alemanha, capital e cidade mais populosa do estado federal de Brandemburgo. A Leste, faz fronteira com Berlim, formando a região metropolitana Berlim/Brandemburgo. Potsdam é mundialmente conhecida por seu legado histórico como residência dos reis da Prússia bem como pelo grande número de belos parques e palácios, entre outros o Palácio de Sanssouci.


© Schöning GmbH & Co. KG
DE-4435081, enviado pela Steffi & família
O conjunto, englobando 500 ha de parques e 150 edifícios erguidos entre 1730 e 1916, foi nomeado Património Cultural da Humanidade pela UNESCO em 1990. 

 Sanssouci (em francês: sem preocupação) é o antigo palácio de Verão de Frederico o Grande, Rei da Prússia. É frequentemente incluído na lista dos palácios alemães rivais do Château de Versailles. Embora Sanssouci ostente o mais íntimo estilo Rococó e seja muito menor que o seu oponente construído no estilo Barroco Francês, é notável pelos numerosos templos e outras construções nos jardins do seu parque.
Desenhado por Georg Wenzeslaus von Knobelsdorff, entre 1745 e 1747, para suprir a necessidade que Frederico II da Prússia sentia de uma residência privada onde pudesse relaxar longe da pompa e cerimónia da Corte de Berlim, o palácio é pouco mais que uma grande villa de piso único, mais semelhante ao Château de Marly que a Versalhes. 

© mauritius images / eurolufbilde.de
DE-1907328, enviado pela Monike.
Contendo apenas dez salas principais, foi construído no alto de uma colina aterraçada, localizada no centro do parque. Tão grande foi a influência do gosto pessoal de Frederico no desenho e decoração do palácio que o seu estilo é caracterizado como "Rococó Fredericano". Este monarca encarou o palácio de uma forma tão pessoal que o concebeu como "um lugar que pudesse morrer com ele". Devido a uma discordância sobre a panorâmica do palácio a partir do parque, Knobelsdorff foi despedido em 1746. Jan Bouman, um arquitecto holandês, terminou então o projecto.
Durante o século XIX, o palácio tornou-se residência de Frederico Guilherme IV, o qual empregou o arquitecto Ludwig Persius para restaurar e ampliar o palácio, enquanto Ferdinand von Arnim foi encarregado da melhoria da localidade e, desse modo, das vistas a partir do palácio. A cidade de Potsdam, com os seus palácios, foi um dos locais de residência favoritos da Família Imperial da Alemanha até à queda da dinastia Hohenzollern, em 1918.

 Depois da Segunda Guerra Mundial, o palácio tornou-se uma atracção turística na Alemanha Oriental. Foi totalmente mantido com o devido respeito à sua importância histórica e aberto ao público. Depois da Reunificação da Alemanha, em 1990, o desejo final de Frederico II foi realizado: os seus restos mortais regressaram ao seu amado palácio e foram enterrados numa nova sepultura com vistas para os jardins que ele criou. Sanssouci e os seus extensos jardins foram classificados como Património Mundial da Humanidade em 1990, sob a protecção da UNESCO. Em 1995, a Fundação dos Palácios e Jardins Prussianos em Berlim-Brandemburgo foi instituída como protectora de Sanssouci e dos outros palácios imperiais em volta de Berlim. Estes palácios são, actualmente, visitados em cada ano por mais de dois milhões de pessoas vindas de todo o mundo. - in: wikipédia

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Palácio Linderhof - Alemanha

Os castelos e palácios podem ter levado à ruína financeira o reino de Luís II da Baviera, no entanto hoje são um forte contributo para a economia do estado da Baviera. 
Neuschwanstein pode ser o castelo mais conhecido e mais visitado mas existem outros que também merecem uma visita, como por exemplo o Palácio de Linderhof.
O 1º postal é um oficial e o 2º foi enviado pela Irene. 

© Fotoverlag HUBER
DE-4694029, enviado pela Uschi.
O Palácio Linderhof, construído entre 1869 e 1878, situa-se nas proximidades de Oberammergau, no sudoeste da Baviera.
É o mais pequeno dos três palácios construídos pelo Rei Luis II da Baviera, mas o único que o monarca viu concluído.

© Fotoverlag HUBER
Luís II já conhecia a área em volta de Linderhof desde a sua juventude, quando acompanhava o seu pai, o Rei Maximiliano II da Baviera, nas suas viagens de caça pelos Alpes Bávaros. Quando Luís se tornou Rei, em 1864, herdou de seu pai o chamado Königshäuschen, tendo começado a ampliar o velho edifício a partir de 1869. Em 1874 decidiu derrubar o Königshäuschen e reconstruí-lo na localização do parque onde ainda pode ser encontrado actualmente. Ao mesmo tempo, três novas salas e a escadaria foram acrescentas ao restante complexo em forma de U, tendo o primitivo exterior em madeira sido recoberto por fachadas de pedra. O edifício foi desenhado segundo o estilo rococó. - in: wikipédia

domingo, 6 de dezembro de 2015

Bad Kreuznach - Alemanha

Tal como o postal anterior, este também estava nos meus favoritos. Foi enviado pela Sabine e é da cidade termal de Bad Kreuznach, localizada no estado alemão da Renânia-Palatinado.

© Herst. u. Verlag Schöning & Co. + Gebr. Schmidt
Uma das atracções de Bad Kreuznach é a sua ponte sobre o rio Nahe com as suas fascinantes casas. A ponte com oito arcos foi construída por volta de 1300 e as casas foram construídas a partir de 1480 em diante.

DE-4435084

Gosto tanto deste postal. Estava nos meus favoritos, ou seja, o album de postais que gostaria de receber e finalmente chegou à minha caixa de correio. Antes de enviar um postal costumo ir ver se a pessoa tem alguma lista ou album de postais que gostaria de receber e se tiver algum desses postais, quase sempre envio. Perco algum tempo a fazer isso e gosto quando alguém faz o mesmo ao enviar-me um postal.

verlag johannes oefner
DE-4435084, enviado pela Thea.
A catedral de Mainz é uma catedral romana católica com 1000 anos de história. O estilo predominante é o românico mas as alterações feitas ao longo dos séculos resultaram na aparência actual com influência de vários estilos arquitectónicos. 
A igreja de Stº Estevão, no lado direito, data do final da era medieval. A sua construção começou por volta de 1267 e terminou em 1340. 

CH-264773

Um oficial da Suiça com o castelo de Burgdorf.

© Fotografie: Verena Gerber-Menz
CH-264773, enviado pelo Thomas.
O castelo de Burgdorf  tem 800 anos de história. É o mais bem conservado castelo da casa Zähringen. 
No seu interior existem três museus, incluindo um dos mais antigos museus históricos do país.
O Museu do Castelo Burgdorf foi fundado em 1886 e possui uma colecção de objectos históricos e documentos que se estende desde a Idade Média até o século XX; O rio Emmem, que se situa nas proximidades, foi muito procurado por caçadores de ouro durante séculos, o Museu do Ouro Helvético apresenta o material em toda a sua glória; Finalmente, o Museu Etnológico possui colecções notáveis das culturas asiáticas, africanas, americanas e oceânicas.

Sítios palafíticos pré-históricos em redor dos Alpes - Suiça

Este não é propriamente um postal bonito mas quando se trata de um postal de um local UNESCO, a beleza não é o requisito mais importante. 
Conseguir postais dos sítios palafíticos não é nada fácil. Este postal, enviado pela Ania, é de um dos 4 locais classificados no cantão suiço de Thurgau. 

Foto: Amt für Archäologie TG, M. Schnyder
As casas de palafitas são remanescentes de assentamentos pré-históricos em lagos e pântanos ao redor dos Alpes. Dos cerca de 1000 locais conhecidos em seis países, apenas 111 estão classificados como Património Mundial, dos quais 56 estão localizados na Suíça.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Brescia - Itália

Enquanto andou pelo norte de Itália o Óscar também passou por Brescia, onde se encontra mais um local UNESCO italiano. A área monumental do Fórum romano e o complexo monástico de São Salvador-Santa Júlia fazem parte de um grupo de edifícios históricos chamado "Lombardos na Itália - Locais do poder (568-774)".

Lombardos na Itália - Locais do poder (568–774) é o nome oficial dado pela UNESCO para sete grupos de edifícios históricos que reflectem as realizações da tribo germânica dos lombardos (também chamados Longobardos) que se estabeleceram na península Itálica do século VI.
Os grupos são compostos de mosteiros, igrejas e fortalezas e tornou-se Património Mundial da UNESCO em junho de 2011 como testemunho "para o importante papel dos lombardos no desenvolvimento espiritual e cultural do cristianismo medieval europeu". - in: wikipédia

Fotostudio Rapuzzi
O Capitolium era o templo mais importante da Brixia antigoa, dedicado ao culto da Tríade Capitolina. Foi construído em 73 d. C. e é composto por três celas que preservaram a maior parte do piso de mármore policromado original, enquanto que as suas paredes interiores são decoradas por epígrafes antigas romanos colocados aqui no século XIX.
Os restos do pórtico são compostos por colunas coríntias que suportam um frontão contendo uma dedicatória ao imperador Vespasiano. 
Após ter sido quase totalmente enterrado por um deslizamento de terra, foi redescoberto em 1823 através de diversas campanhas arqueológicas. 
Depois de uma restauração arqueológica na primavera de 2013, este monumentos encontra-se outra outra vez aberto ao público. 

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Crespi d'Adda - Itália

No Verão passado o Óscar foi dar uma voltinha pelo norte de Itália e aproveitou para visitar uns quantos locais UNESCO. O norte de Itália também está na minha lista e na mira estão, obviamente, vários locais UNESCO.
Crespi d'Adda foi um dos locais que o Óscar visitar e segundo ele é um local bem interessante. Entrou para a lista do Património Mundial em 1995. O primeiro postal foi enviado por ele, o 2º pela Marie. 

Crespi d'Adda é uma vila de operários na Província de Bergamo. É, com certeza, o exemplo mais interessante do fenômeno dos bairros operários na Itália e um dos mais completos e originais do mundo. Encontra-se perfeitamente conservado, especialmente o seu esquema urbano e sua aparência arquitetónica.  
Actualmente a vila é habitada por uma comunidade, na sua maioria, formada por descendentes dos trabalhadores originais. A fábrica fechou em 2004, sendo, na grande parte do tempo em que ficou aberta, produtora de telas de algodão.

A fábrica e o bairro foram construídos no último quarto do século XIX pela Família Crespi (industriais têxteis), que escolheram as margens do rio Adda, na Lombardia, como lugar de construção da sua fábrica têxtil, durante o primeiro período de industrialização na Itália.

Ed. Mariani Manenti Priv. Nº1
A fundação começou em 1878 tendo como responsável Cristoforo Benigno Crespi, durante a época em que os industriais letrados, proprietários e filantropos, inspirados pela doutrina social, desejavam satisfazer as necessidades de seus empregados e suas famílias, cuidando de suas vidas dentro e fora da fábrica. A ideia era proporcionar a todos os trabalhadores uma casa pequena com um jardim de hortaliças e proporcionar todos os serviços necessários para suas vidas: igreja, escola, cemitério, hospital, campo de desporto, centro comunitário, teatro, casas de banho públicas, quartéis de bombeiros e outras estruturas comunitárias.
Este experimento de paternalismo empresarial decaiu no final dos anos 1920 com a bancarrota dos proprietários e como resultado da transformação da paisagem industrial que aconteceu no Século XX, como por exemplo a mão de obra e outros materiais estrangeiros e mais baratos, melhoria nos transportes, geração de energia em grande escala, aspirações sociais maiores da comunidade local e a produtividade aumentada de países anteriormente subdesenvolvidos. - in: wikipédia