terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Monthly Fav. Surprise RR - Novembro 16

Tempo agora para alguns postais do RR Monthly Favorite. Em Novembro os postais vieram da Geórgia, ainda que enviado da Ucrânia, do Japão, da Estónia, da Espanha e da Alemanha. 

Foto by Goga Chanadiri
Há uns anos a Yulia foi até à Geórgia e lá comprou este postal da Ponte Kroni, um dos melhores exemplos de pontes medievais no país. Situa-se no município de Kaspi, perto do mosteiro de Rkoni e remonta aos séculos XII-XIII.

Bem diferente mas igualmente bonita é a Ponte Tsutenkyo do Templo Tofukuji. Este templo Zen em Kyoto é particularmente famoso pelas suas espectaculares cores de outono. O templo foi fundado em 1236 a pedido do poderoso clã Fujiwara.
No outono, as pessoas vêm de todo o Japão para ver as cores do outono. A vista mais popular é a da ponte e sua passagem coberta com 100 metros de comprimento, enche de pessoas quando as cores atingem seu pico, geralmente entre os meados e fins de Novembro.
O postal foi enviado pela Tomoko.

Um novo castelo da Estónia graças à Ella.
O Castelo Episcopal de Kuressaare, também conhecido como Castelo de Kuressaare, foi construído no século XIV. Hoje em dia o castelo abriga o Museu Saaremaa com a sua exposição permanente e diversas exposições temporárias.
O Castelo Episcopal de Kuressaare é a única fortificação medieval sobrevivente nos países bálticos que não foi significativamente reconstruída.

De Espanha chegou este postal do Delta do Ebro, enviado pela Yolanda, onde se encontra o Farol de Fangar. 
O Delta do Ebro está localizado em Tarragona. Abrange uma área de 320 quilómetros quadrados, dos quais 80 constituem a Reserva Natural do Delta do Ebro. Tem uma grande riqueza ornitológica e é internacionalmente importante devido à presença de mais de 400 espécies e algumas das mais importantes colónias de reprodução no Mediterrâneo.
Estas terras planas dão ao Delta do Ebro a sua paisagem única, que varia de acordo com a época do ano. Aqui encontra-se de tudo, desde jardins e pomares até campos de arroz, enquanto na área costeira existem grandes lagos. A área em torno desta reserva natural é caracterizada por solos salinos, e extensas praias desertas de areia com dunas.

© Schöning GmbH & Co. KG
Se a Yoland enviou um postal com um farol, a Steffi enviou um com 12 faróis, todos na costa alemã do Mar do Norte. 
Obereversand em Dorum; Farol de Arngast em Dangast; o farol Novo na ilha Wangerooge; Roter Sand no estuário do Weser; Farol de Hamburger em Cuxhaven; farol da ilha Juist; farol de Heligoland; Geestemünde em Bremenhaven; farol da ilha Norderney; farol de Pilsum; Borkum Großer em Borkum e o farol de Wremen.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Parque Nacional de Kluane - Canadá

Mais um local UNESCO riscado da lista. O Parque e Reserva Nacional Kluane, juntamente com os parques  Tatshenshini-Alsekas na província da Colúmbia Britânica,  Wrangell-St Elias e Baía Glacier no estado americano do Alaska,  foi inscrito na lista de Património Mundial com o nome Kluane/Wrangell-St Elias/Baía Glacier/Tatshenshini-Alsek em 1979.
O postal foi enviado pelo Jason em Novembro passado. 

© 2015 Canada Post
O parque nacional de Kluane encontram-se no canto do sudoeste da província do Yukon. 
O parque inclui a montanha a mais elevada em Canadá, o Monte Logan. As montanhas e os glaciares dominam a paisagem do parque, cobrindo 83% de sua área.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

CA-696156

Não costumo receber postais oficiais do Canadá com frequência mas nos últimos dias recebi este e também enviei um para lá.
Este é da cidade de St. Catharines na província de Ontário.

Photos by Al & Birgie Ludlow
CA-696156, enviado pela Michelle.
Algumas das igrejas da cidade: Igreja de São Jorge à esquerda, a Igreja Metodista da Avenida Welland no centro e por fim a Catedral de St. Catharines. 

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

US-4463211

Há uns dias mostrei um postal do Zimbabwe e disse que tinha sido enviado pela Sherri juntamente com mais três postais dos EUA. Aqui estão eles. Postais com neve a fazer lembrar o nevão do fim-de-semana passado. Há uma semana nevava muito mas a neve durou pouco. 

Photo © Bob Grant
US-4463211, enviado pela Sherri.
Vista do edifício de Sherman Adams, um observatório meteorológico, no cume do monte Washington. Este é o pico o mais elevado no nordeste dos Estados Unidos. Com 1916 metros de altura, é a montanha  mais proeminente a leste do rio de Mississippi.

 Photo © Paul Rezendes
O farol Windmill Point Light noVermont é o farol mais a norte no lago Champlain.
O primeiro farol neste local foi erigido em 1830. Em 1858, o serviço do farol contratou a firma de Ellis e O'Neil para erigir o farol actual, que está ligado à casa do faroleiro. Permaneceu ao serviço até 1931. A casa do faroleiro passou a estar ao serviço da alfândega para uso contra o contrabando durante a Proibição.
Em Agosto de 2002 o farol entrou novamente ao serviço e continua a ser uma ajuda activa à navegação.

Este pessoal está a aproveitar a neve em Fairlee, uma cidade em Orange County, Vermont.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

RU-5405900

Há uns dias chegou um postal da Rússia com estes 2 postais, nenhum da Rússia por sinal. Além dos postais, a Nastya enviou também um pacote de chá, que também não é russo!! 
Depois de uma pesquisa no google images, descobri que o 1º postal é dos EUA. O 2º não precisou de pesquisa, no postal indica logo que é da Crimeia. 

RU-540900, enviados pela Nastya.
O farol do porto de Annisquam, foi estabelecido inicialmente em 1801 e é um dos faróis mais antigos em Massachusetts. 
A torre octogonal original de madeira foi substituída por volta de 1897 pela torre de tijolos existente. O local inclui elementos do farol original (concluído em 1814), como a casa do faroleiro e uma casa de óleo. Uma passagem de madeira conduz ao farol.
 O farol protege os marinheiros de obstáculos perigosos, incluindo longos bancos de areia e uma costa rochosa ao longo do rio Annisquam.

A construção da Igreja de São Teodoro em Alushta, na Crimeia, começou em 1833. O templo foi construído em estilo gótico e lembrava as igrejas rurais na Inglaterra.
As portas do templo foram fechadas em 1964. O edifício foi reconstruído várias vezes, a torre do sino foi destruída e o antigo templo perdeu a sua aparência original. Algumas décadas mais tarde a igreja foi reconstruída e apareceu em toda a sua glória.

Diamantina - Brasil

Quando fui ao Brasil visitei 3 dos 4 locais UNESCO de Minas Gerais, Ouro Preto, o Santuário de Congonhas e Pampulha, só ficou para trás Diamantina por ser demasiado distante. Foi precisamente com este postal de Diamantina que a Luzia me desejou um Feliz Natal. 

A Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, foi edificada em 1731 pela Irmandade com o mesmo nome. É um dos templos mais antigos de Diamantina. Apresenta uma fachada simples, porém, guarda um altar folheado a ouro.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Machu Pucchu - Peru

É impossível ir ao Peru e não ir à sua atracção turística mais famosa, Machu Picchu.
Machu Picchu foi declarado um santuário histórico peruano em 1981, um Património Mundial da UNESCO em 1983 e em 2007 foi eleito uma das Sete Novas Maravilhas do Mundo.
Além do postal de Titicaca, a Ara também enviou um postal de Machu Picchu. O outro foi enviado por Veronika há alguns anos.

Fotografia: © Hennry Abanto
Inserido numa paisagem dramática no ponto de encontro entre os Andes peruanos e a Bacia Amazónica, o Santuário Histórico de Machu Picchu está entre as maiores conquistas artísticas, arquitectónicas e de uso da terra, e o legado tangível mais significativo da civilização Inca.
Construído no século XV, Machu Picchu foi abandonado quando o Império Inca foi conquistado pelos espanhóis no século XVI. Só em 1911 é que o complexo arqueológico foi dado a conhecer ao mundo exterior.
As cerca de 200 estruturas que compõem este excepcional centro religioso, cerimonial, astronómico e agrícola, estão situadas numa encosta íngreme, atravessadas por terraços de pedra. Seguindo um plano rigoroso a cidade é dividida numa parte inferior e superior, separando a agricultura de áreas residenciais, com uma grande praça entre os dois.

Até hoje, muitos dos mistérios de Machu Picchu permanecem sem solução, incluindo o papel exacto que pode ter desempenhado na compreensão sofisticada dos Incas de astronomia e domesticação de espécies de plantas selvagens.
A arquitectura maciça mas refinada de Machu Picchu mistura-se excepcionalmente bem com o ambiente natural deslumbrante, com o qual está intrinsecamente ligada. Numerosos centros subsidiários, um extenso sistema rodoviário e de trilhas, canais de irrigação e terraços agrícolas dão testemunho de um uso humano de longa data. A topografia acidentada que torna algumas áreas de difícil acesso, resultou num mosaico de áreas usadas e diversos habitats naturais. As encostas orientais dos Andes tropicais com os seus prados de "Puna" de altitude elevada e matas de Polylepis, as florestas de nuvem e as florestas de planície tropicais são conhecidas por abrigar uma rica biodiversidade e alto endemismo de significado global. 
Apesar do seu pequeno tamanho, a propriedade contribui para a conservação de um habitat muito rico e diversidade de espécies. 

Lago Titicaca - Peru

A minha próxima ida à América do Sul pode muito bem ser ao Peru. Não sei quando será, mas por vontade da minha amiga Telma, era já este ano. Não, não vai ser, mas nunca se sabe se não vai ser o ano que vem. A Ara foi lá em Outubro passado e enviou um postal do Lago Titicaca. O outro foi enviado pela Mery em 2008.
O ano passado a Telma foi até à Bolívia e foi até ao Titicaca, aposto que também vai querer ir ao lado peruano do lago.

Fotografia: © Hennry Abanto
Localizado entre a Bolívia e o Peru, o Lago Titicaca é um dos lagos mais fascinantes do mundo. Ele está situado a uma altitude de mais de 3800 metros acima do nível do mar. 
Ao visitar o Lago Titicaca, a cidade de Puno, no lado peruano do lago, é o melhor lugar para ficar. Puno é um lugar interessante para visitar, pois é a capital do folclore do Peru.

O Lago Titicaca é um lugar sagrado para a civilização Inca, diz-se que o primeiro rei Inca, Manco Capac, nasceu aqui. De acordo com a mitologia inca, este é o lugar onde o mundo foi criado, quando o deus Viracocha saiu do lago e criou o sol, as estrelas e as primeiras pessoas.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Mesquita Hassan II, Casablanca - Marrocos

E com este postal de Marrocos, termino o passeio por África. Este é o último dos postais trocados com o Andrzej. 

Maroc Infini
Foi desenhada pelo arquitecto francês Michel Pinseau e os trabalhos de construção começaram em 12 de Julho de 1985. Foi inaugurada em 30 de Agosto de 1993. Nos trabalhos de construção estiveram envolvidas cerca de 2500 pessoas e 10000 artesãos marroquinos, que trabalharam com mármore, granito, madeira, mosaicos, estuque e outros materiais para elaborar os tectos, pavimentos, colunas, etc. O custo aproximado da mesquita foi de 5494 milhões de dirham (cerca de 504,85 milhões de euros). A sua localização (junto ao mar) deve-se a Hassan II se ter inspirado no seguinte versículo do Corão: "O trono de Deus encontrava-se sobre a água".
Conta com as últimas tecnologias como resistência sísmica, tecto que se abre automaticamente, soalho aquecido e portas eléctricas. É das poucas mesquitas do mundo muçulmano que permite a visita a turistas não muçulmanos. - in: wikipédia

Koutammakou - Togo

Receber um postal de África é sempre bom, receber um postal de um local UNESCO africano é ainda melhor mas receber um postal de um local UNESCO africano enviado de lá, é motivo para andar aos saltos pela casa, ainda mais se esse postal tiver sido enviado no dia dos teus anos. Este belo postal do Togo foi enviado de lá no dia 23 de Novembro do ano passado. Enviei 3 postais ao Mikee para que ele me enviasse um postal do Togo, devo dizer que valeu muito a pena. 

Photo: F3.JR3. Amoah / E.R. ©
A região Koutammakou no nordeste do Togo, estendendo-se para o vizinho Benin, é o domínio dos Batammariba (também chamados Katammariba ou Temberma), onde se encontram as famosas casas de barro em forma de torre, chamadas Takienta (ou Tatas), únicas em África, e que se tornaram um símbolo de Togo. Nesta paisagem cultural, de 50 mil hectares, a natureza está fortemente associada aos rituais e crenças esta população, que utiliza os seus recursos de forma harmoniosa e, por essa razão, foi inscrita na lista do Património Mundial pela UNESCO, em 2004. 
As Takienta são circulares e têm geralmente dois andares, por vezes encimadas por um celeiro, também feito de terra, de forma quase esférica. Outras têm telhado plano e outras ainda são cobertas por capim, numa forma cónica. O conjunto da habitação compreende sempre um celeiro, um estábulo para as cabras e um pátio usado para as cerimónias rituais. A aldeia, de que Nadoba é um exemplo bem conhecido e procurado pelos turistas, inclui ainda outros espaços cerimoniais, como fontes, rochas, locais para os ritos de iniciação e, por vezes, catacumbas para os seus mortos. - in: wikipédia

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Cataratas de Victória

A semana passada recebi um envelope com o que deveria ser um postal oficial dos EUA. O postal oficial estava lá mas com ele vieram também outros dois postais dos EUA e um do Zimbabwe com as Cataratas de Victória. A autora desta surpresa foi a Sherri, com quem já tinha trocado alguns postais no forum. Ao postal dela junto um outro das cataratas enviado pelo Emerich. 
As Cataratas de Victória estão classificadas como Património Mundial tanto no lado do Zimbabwe como no lado da Zâmbia.

Photo © Karel Hrdina
As Cataratas de Victoria são uma das maiores atracções em África e uma das cataratas mais espectaculares do mundo. Situam-se no no rio Zambeze, o quarto maior rio da África, que também é a definição da fronteira entre a Zâmbia e o Zimbabwe.
Esta é a única catarata  do mundo com um comprimento de mais de um quilometro e uma altura de mais de cem metros. Considera-se também ser a maior catarata do mundo.
O ruído das cataratas pode ser ouvido a uma distância de 40 km, enquanto que os chuviscos e névoa da água que cai, sobem a uma altura de mais de 400 metros e podem ser vistos a uma distância de 50 quilómetros. Não é de admirar que as tribos locais tenham chamado às cataratas Mosi-o-Tunya "o fumo que troveja". 

Photo by Petr Hejmánek
Foi David Livingstone, um missionário e explorador escocês (1813-1873) que as descobriu em 1855, enquanto pregava o Cristianismo em África e lhes deu o nome da Rainha Victoria. Apesar de serem um obstáculo à sua missão de espalhar a fé cristã, ficou fascinado pela beleza das quedas, tendo escrito que ninguém em Inglaterra poderia imaginar a beleza do local e que provavelmente anjos estariam admirando a paisagem durante os seus voos. 
Até à chegada do comboio a Bulawayo, em 1905, pouca gente tinha visitado as cataratas. Desde então e até ao fim do domínio colonial britânico, as cataratas foram ganhando popularidade. No entanto, no final da década de 1960 o número de turistas começou a diminuir devido à luta guerrilheira no Zimbabwe. Após a independência, a região tem estado em relativa paz e as Cataratas de Victoria começaram a atrair uma nova onda de turismo.
Até o final de 1990, cerca de 300.000 pessoas foram visitar as quedas.
As cataratas foram formadas numa zona de falhas da crosta terrestre. Na crista da queda numerosas ilhas dividem o fluxo principal em vários ramos. Durante as inundações, a capacidade de escoamento da água atinge meio milhão de litros de água por minuto.
O nível da água varia ao longo do ano; que está no seu pico em Abril, no final da estação das chuvas, atingindo em média, 500.000.000 litros de fluxo de água e está no seu nível mais baixo em Outubro e início de Novembro.
Curiosamente, durante a estação seca, o nível de água no rio Zambeze cai drasticamente, e torna-se possível caminhar através de algumas partes das cataratas. No entanto, durante o resto do ano Victoria Falls é uma máquina devastadora que deslumbra a todos com o seu poder.

Deserto do Namibe - Namíbia

Dois dos meus três postais da Namíbia são deste deserto, o Namibe.
O 1º postal foi enviado pelo Andrzej e o 2º pela Sandra. 

Mark Van Aardt Photography ©
 O Deserto do Namibe é um deserto situado na Namíbia e no sudoeste da Angola. O nome namib, tem a sua origem numa das línguas san locais, o khoekhoegowab, e significa "lugar vasto", o que faz jus à realidade já que de facto o deserto ocupa uma área de cerca de 80 900 km², estendendo-se por 1600 km ao longo do litoral do Oceano Atlântico no sul de Angola e na Namíbia. A sua largura leste-oeste varia de 50 a 180 kms.

Photo by Harald Mielke © ADMOS Verlags-AG
É considerado como sendo o mais antigo deserto do mundo, tendo permanecido em condições áridas ou semi-áridas há pelo menos 55 milhões de anos. A sua aridez é causada pela descida de ar seco arrefecido pela fria corrente de Benguela que passa na costa do Namibe podendo chegar a até 60 °C. Menos de 1 cm de chuva cai anualmente e o deserto é quase completamente estéril.
Embora o deserto seja na sua maior parte desabitado, há povoações em Sossusvlei próximos de um grupo gigante de dunas de areia, que ultrapassa os 340 m de altura e são as mais altas dunas de areia do mundo. - in: wikipédia

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Suricatas - África do Sul

Se houver um top 10 dos animais mais engraçados e fofos, os suricatas certamente que estão lá! É impossível não gostar deles. 

Espécie de focinho pontiagudo e corpo longo e esguio. A pelagem apresenta riscas escuras na região dorsal e é negra na extremidade da cauda. A zona ventral está apenas parcialmente coberta por pelo. Tem uma máscara de pelagem negra em torno dos olhos e nas patas dianteiras, tem longas garras.

Photo by Nigel Dennis * Art Publishers
É territorial e muito sociável. Vive em colónias de 10-15 animais, constituídas por 2-3 unidades familiares, formadas por um casal reprodutor e suas crias. Cada indivíduo desempenha uma função específica num sistema de rotatividade de tarefas, desde sentinela a baby-sitter ou caçador. Constrói complexos sistemas de túneis subterrâneos.
Apenas uma fêmea da colónia se reproduz, apesar de todos participarem nos cuidados com as crias. O acasalamento é precedido de pequenas dentadas amistosas no focinho. As crias nascem no interior do abrigo onde permanecem nas primeiras 7-9 semanas de vida, enquanto são amamentadas.
Vive em savanas pouco arborizadas e zonas semiáridas.
A dimensão das populações selvagens varia com as flutuações locais na precipitação e predação. Não existem fatores de ameaça consideráveis, já que a maior parte da população vive em áreas protegidas bem geridas e de grandes dimensões. - in: http://www.zoo.pt/site/animais_detalhe.php?animal=85

Chitas - África do Sul

Mudei de continente mas os postais continuam a ser enviados pelo Andrzej. Não são o máximo estes dois? 

A chita é o mamífero terrestre mais rápido do Mundo em curtas distâncias. Distingue-se pelo corpo esguio e pela linha negra em forma de lágrima, do canto de cada olho até à boca. O macho é maior do que a fêmea. Contrariamente à maioria dos felinos, tem garras expostas, fundamentais para a corrida em velocidade.

Photo by Martin Harvey * Art Publishers
É geralmente solitária, mas é frequente formarem-se pequenos grupos de machos irmãos que muitas vezes se mantêm juntos para a vida. Procura abrigo junto da vegetação rasteira mais densa. Caça por perseguição em corrida. E marca o seu território com urina.
A fêmea é poliéstrica, está receptiva em intervalos curtos de tempo, várias vezes por ano. Por ninhada, nascem em média 4 crias que são amamentadas durante cerca de 4 meses. Apesar dos cuidados da progenitora, a taxa de mortalidade das crias até aos 3 meses é muito elevada na natureza.

Photo: Denny Allen © Wild Treks
Vive em savanas, planícies arborizadas e zonas semidesérticas.
Estima-se que tenha desaparecido em 76% da sua área de distribuição original. A caça ilegal, a perseguição, a perda do habitat e a redução de presas naturais são as suas principais ameaças. Pertence ao apêndice I da CITES (Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Fauna e da Flora Selvagem Ameaçadas de Extinção). - in: http://www.zoo.pt/site/animais_detalhe.php?animal=14&categ=3

Monte Hutt - Nova Zelândia

Este é o 3º e último postal da Nova Zelândia enviado pelo Andrzej. 

The New Zealand Souvenir Co. Ltd 
O Monte Hutt é uma montanha localizada a oeste de Canterbury Plains, na Ilha Sul da Nova Zelândia.
É particularmente conhecida pelas suas pistas de esqui. O Monte Hutt tem a maior área de esqui do sul da ilha, com 3,65 quilómetros quadrados e uma altura vertical de 683 metros. 

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Milford Sound - Nova Zelândia

Quem quer viajar até à Nova Zelândia, deseja certamente visitar Milford Sound, e não admira, dos 14 fiordes existentes nos limites do Parque Nacional de Fiordland, o Milford Sound é sem dúvida, o mais acessível, famoso e visitado de todos. Recebendo quase um milhão de visitantes por ano, o Milford Sound é reconhecido como uma das principais atracções turísticas da Nova Zelândia 

Produced by Colorview Publication 1997 Ltd
Localizado no sudoeste da Ilha do Sul da Nova Zelândia, Milford Sound é um dos Patrimónios Mundiais da Nova Zelândia, na lista com o nome Te Wahipounamu.
Rodeado por penhascos íngremes e floresta tropical densa, Milford Sound é de longe o mais conhecido de todos os fiordes na Nova Zelândia. Uma das imagens mais icónicas de Milford Sound é o Pico Mitre Peak, que se ergue 1692 metros acima do nível do mar.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Glaciar Franz Josef - Nova Zelândia

As paisagens da Nova Zelândia são mundialmente famosas e os glaciares são uma das atracções do país. O glaciar Franz Josef é um dos maiores e mais visitados da Nova Zelândia. 

Produced by Colorview Publication 2004 Ltd
Na área do glaciar Franz Josef encontram-se algumas das paisagens mais espectaculares da Nova Zelândia. Apenas a seis quilómetros do centro da aldeia, o glaciar desce dos cumes dos Alpes do Sul até às floresta perto do nível do mar. Isto proporciona uma oportunidade muito rara de experimentar um glaciar dinâmico num ambiente temperado.
Franz Josef é o nome do glaciar e da aldeia vizinha, embora os nomes Maori sejam diferentes. 
A uma curta distância da aldeia existem uma série de opções para tirar partido das atracções naturais, incluindo uma ciclovia, caminhadas de comprimento variado, passeios guiados, passeios de caiaque, rafting ou pára-quedismo. Também é possível fazer uma visita à colónia de garças brancas ou o kiwi mais raro do mundo.

Edifício Sultan Abdul Samad - Kuala Lumpur

O tópico GTKY já não existem há algum tempo mas alguns de nós, que tanto tempo lá passámos à conversa, ainda mantemos contacto e até há quem se encontre. Desde que a Ana foi para a China tem aproveitado, e faz ela muito bem, para viajar pela Ásia. Quando passou pela Malásia aproveitou para se encontrar com a Lyan e juntas enviaram alguns postais. 

O Edifício Sultão Abdul Samad foi um dos primeiros edifícios em estilo mourisco em Kuala Lumpur. Está situado a leste da Praça Merdeka e do Royal Selangor Club, em frente ao Jalan Sultan Hishamuddin. 
Foi construído em 1897 e foi-lhe dado o nome do sultão reinante do estado de Selangor na altura. 
O edifício serviu originalmente como a secretaria para a administração britânica colonial. Desenhado por A. C. Norman, este edifício histórico albergou os tribunais superiores da Malásia: o Tribunal Federal da Malásia, o Tribunal de Apelações e o Tribunal Superior da Malásia, antes de se mudarem para Putrajaya.

Santuário da Vida Selvagem do Monte Hamiguitan - Filipinas

Já uma vez tinha tido postais de todos os locais UNESCO das Filipinas mas em 2014 o Monte Hamiguitan entrou para a lista do Património Mundial e foram precisos dois anos para conseguir ter um postal de lá. Aqui está ele e foi enviado pela Jan. 

Photos by Boj Capati
O Monte Hamiguitan é uma montanha localizada na província de Davao Oriental, nas Filipinas. Tem 1.620 metros de altura. A montanha e seus arredores tem uma vida selvagem muito diversa do país, incluindo vários Nepenthes endêmicos da região. A montanha tem uma área de floresta protegida de aproximadamente 2.000 hectares com algumas espécies endêmicas e raras de flora e fauna.
O Monte Hamiguitan e seus arredores foram declarados parque nacional e santuário da vida selvagem em 2003.
O Monte Hamiguitan foi incluído na lista de Património Mundial da UNESCO por "ser habitat terrestre e aquático de uma série de espécies de flora e fauna, algumas ameaçadas, sendo que oito habitam somente esta região". - in: wikipédia