sábado, 31 de dezembro de 2016

CZ-1040362

Terminou mais um ano de postcrossing e é altura de fazer contas. No que diz respeito a postais oficiais, este ano foi fraquito, apenas enviei e recebi 59 postais. Vou tentar enviar mais em 2017, prometo!!
Este aqui é da República Checa e chegou em Outubro. 

CZ-1040362, enviado pela Lída.
O Hrádek u Nechanic é um palácio de estilo gótico do século XIX, perto da cidade de Hrádek, na região de Hradec Králové, na República Checa.
Foi construído entre 1839 e 1857 como casa de verão do Conde František Arnošt de Harrach, um dos representantes mais importantes da dinastia de Jilemnice. O jovem arquitecto austríaco Karl Fischer liderou as operações de construção e sugeriu a decoração do interior do palácio, no entanto o projecto do palácio em si foi do arquitecto inglês  Edward Buckton Lamb. 
O palácio é algumas vezes referido como "Pequeno Hluboká" porque se assemelha ao Palácio Hluboka no sul da Boêmia. A maioria dos móveis foi feita por artesãos locais. 

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Igrejas de Madeira no Sul da Polónia

Há 6 igrejas de madeira no sul da Polónia inscritas na lista da UNESCO. Nenhuma destas três está nessa lista mas também elas são belos exemplos deste estilo de igrejas, verdadeiramente único, e de que eu tanto gosto.
Estes postais e todos os polacos anteriores foram todos enviados por Andrzej.

fot. © N. Szczerbicka
Esta antiga igreja greco-católica de madeira é encontra-se numa pequena colina na aldeia de Równia. Possui um estilo arquitectónico de três cúpulas que é muito raro no território polaco, sendo mais típico das igrejas de estilo Boyko encontradas mais a leste na Ucrânia.
Pensa-se que a igreja tenha sido construída no início do século XVIII. Foi danificada durante a Segunda Guerra Mundial. Após a guerra, os habitantes Lemko e Boyko (grupo étnicos ucranianos) da aldeia foram acusados de ajudar o exército insurgente ucraniano, que lutava contra o governo polaco.
Foram expulsos da região juntamente com a maioria da população Lemko e Boyko do sudeste da Polónia. Assim, a aldeia de Równia perdeu a sua população greco-católica, e a igreja foi convertida numa igreja católica romana. 
Esta é uma das igrejas de madeira as mais originais na região, embora o interior seja muito menos notável do que o exterior.

fot. © N. Szczerbicka
A antiga igreja greco-católica  de Hoszów é dedicada a São Nicolau. A estrutura actual é do século XX, embora inclua alguns dos materiais de construção usados numa igreja de madeira do século XVIII que originalmente estava neste local.
A construção começou em 1939, e ainda não estava concluída quando a Segunda Guerra Mundial começou. A estrutura foi usada pelos alemães como um local de armazenamento de munições. A construção continuou após a guerra e terminou em 1948.
No entanto, em 1951 o edifício foi abandonado devido à pressão do novo governo comunista polaco. Na década seguinte foi usado como celeiro para guardar ovelhas mas em 1971 foi dado à igreja católica que começou a renová-lo.
Em 1977 as telhas de madeira em decomposição nos telhados e a cúpula foram substituídas por telhados de estanho. 

fot. © N. Szczerbicka
A igreja de Rabe também era originalmente um igreja greco-católica.  Foi construída em 1858 e era uma igreja filial da paróquia de Hoszów. Em 1951 a igreja foi abandonada e usada como um armazém. 
Pertence à Igreja Católica Romana desde 1971.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Olkusz - Polónia

Volto a descer até ao sul da Polónia, agora com um postal de Olkusz que mostra uma torre e um pedaço das antigas muralhas da cidade. 

Foto: M. Habinka
No século XIV Olkusz estava cercada por muralhas. O construtor, ou melhor, o financiador da construção das muralhas,  foi Casimiro o Grande. O comprimento total das muralhas de Olkusz era de cerca de 1100 metros (320 metros de comprimento e 225 metros de largura) e circundava 7 hectares da cidade. As fortificações originais tinham cerca de 15 torres e 2 ou  3 portões.
As muralhas foram demolidas no início do século XIX.

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Castelo de Reszel - Polónia

Do sul para o norte da Polónia com mais um belo castelo e deste tenho a certeza de que não tenho nenhum outro postal. 

Fot. A. Stachurski
Reszel Castelo foi construído entre 1350-1401 pelo Bispo de Vármia, Jan de Miśnia, no entanto os primeiros ocupantes do castelo, foram os cavaleiros teutónicos.
Após a primeira divisão da Polónia em 1772, o castelo foi assumido pelas autoridades prussianas, que o converteram numa prisão em 1795. Em 1806 e 1807 a cidade e o castelo foram atingidos por grandes incêndios. O primeiro destruiu edifícios de madeira da cidade, o edifício da câmara municipal e parte do castelo. O segundo incêndio devastou completamente o castelo. Em 1822, o castelo foi entregue a uma comunidade evangélica. Depois dos trabalhos de reparação, o castelo perdeu seu carácter medieval - os claustros foram derrubados e a ala sul foi convertida numa igreja evangélica.
Desde 2001, depois de mais um restauro, o castelo abriga um hotel com um restaurante, uma galeria de arte e um museu.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Castelo de Niedzica - Polónia

Quando vi o 1º postal nos albuns do Andrzej, foi logo uma das minhas escolhas, pensava eu que ainda não tinha nenhum postal daquele castelo, no entanto acabei de perceber que estava enganada. Há 5 anos a Monika enviou-me um belo postal do Castelo Dunajec, também conhecido como Castelo de Niedzica. 

Fot. © T. Ogórek
O castelo foi erguido entre os anos 1320 e 1326 por Kokos de Brezovica no local de uma fortaleza antiga em Niedzica,  nas montanhas de Pieniny.
É um dos 13 castelos medievais (alguns dos quais não existem mais), construídos no sul da Polónia, ao longo do rio Dunajec.

O castelo de Niedzica fica a uma altitude de 566 metros, numa colina a 300 metros a montante da foz do rio Dunajec. O melhor local para ver o castelo é a partir das ruínas do Castelo Czorsztyn, do outro lado do lago Czorsztyn . 
É um dos mais pitorescos castelos do país. 

Castelo de Dublin - Irlanda

Assim à 1ª vista não parece mas isto é o castelo de Dublin, ou melhor, é um dos pátios do castelo de Dublin. De qualquer maneira, o castelo da capital da Irlanda não é um castelo tradicional mas sim um grande forte construído pelos Anglo-Normandos no século XIII e que ao longo dos séculos foi sofrendo algumas alterações.
Em menos de 5 meses estive 2 vezes em Dublin e na última vez comprei lá um postal igual a este que a Cristina me enviou em Outubro passado. 

© Liam Blake
O castelo já serviu inúmeros propósitos desde sua construção: Já foi um forte militar, uma prisão, abrigou o tesouro nacional, foi um tribunal de justiça e durante 700 anos, até 1922, foi a sede da administração inglesa na Irlanda.
No Pátio Superior do castelo encontra-se esta torre, a Torre Bedford, construída em 1761, de onde foram roubadas em 1907, as Jóias da Coroa Irlandesa e que continuam desaparecidas até hoje.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Muralha de Adriano - Inglaterra

A Muralha de Adriano é uma das principais atracções turísticas de Inglaterra e é também um dos locais   UNESCO do país, foi designado como Património Mundial em 1987.
O 1º destes postais foi enviado pelo Miguel em Setembro passado e a Stephanie enviou o 2º há dois anos.

A Muralha de Adriano foi uma fortificação defensiva na Grã-Bretanha romana, iniciada em 122 durante o reinado do imperador Adriano. Além do seu papel militar, portões ao longo da muralha serviram como postos aduaneiros.
Uma parte significativa da muralha ainda existe e pode ser seguido a pé ao longo do Hadrian's Hall Path. 

 Reproduced from a stamp designed by Godfrey Design * Photo © Peter Marlow / Magnum Photos 
A Muralha de Adriano, construída para manter a Grã-Bretanha romana a salvo de ataques hostis dos Pictos, é a mais extensa estrutura deste tipo construída na história do Império Romano. A muralha era o limite mais a norte do império romano até ao início do século V.
A muralha, que se estende do Mar do Norte ao Mar da Irlanda, estendia-se originalmente por 80 milhas romanas, cerca de 118 kms. A construção foi feita pelos próprios soldados das legiões romanas: cada "centúria" era obrigada a levantar a sua parte da muralha.
A muralha tinha 4,5 metros de altura por 2,5 metros de largura. O seu topo era percorrido por uma estrada de 1 metro de largura, com o fim de facilitar as comunicações e os transportes. A cada distância determinada havia uma torre de observação, e a cada distância maior existiam quartéis para as tropas de guarnição.

Após a morte de Adriano, no ano de 138, o novo imperador, Antonino Pio, abandonou a muralha e começou a construir uma nova muralha chamada de Muralha de Antonino, mais fortificada do que a anterior. Antonino não foi capaz de conquistar as tribos do norte. Então, seu sucessor Marco Aurélio abandonou a Muralha de Antonino e reocupou a Muralha de Adriano como a principal barreira defensiva, em 164. A muralha permaneceu ocupada por tropas romanas até que estas se retiraram da Grã-Bretanha no início do século V.
No início do século V, com as invasões bárbaras, o declínio económico e os golpes militares, os romanos perderam o domínio na Grã-Bretanha. Com o tempo a muralha foi abandonada e caiu em ruínas. Ao longo dos séculos, suas pedras e outros materiais foram reutilizados em outros edifícios próximos. - in: wikipédia

JP-879698

Um postal de Londres mas enviado como oficial do Japão.
Os Life Guards num dia de inverno a caminho da Cerimónia da Mudança da Guarda. 


JP-879698, enviado pela Aya.
O Life Guards, juntamente com os Horse Guards, é um dos regimentos de cavalaria da Household Division, uma unidade militar britânica e a mais antiga do exército.
A unidade formou-se a partir das quatro tropas de guardas a cavalo reunidos por Carlos II de Inglaterra à época da Restauração, mais duas tropas de guardas granadeiros a cavalo formadas alguns anos mais tarde.

Ilha de Texel - Holanda

Postais bem diferentes mas todos do mesmo local, a ilha de Texel na Holanda. 

NL-1504148, enviado pela Henny.
Texel é a maior das Ilhas Frísias, na província de Holanda do Norte.

NL-3606260, enviado pela Joyce.
É banhada pelo Mar do Norte. O seu relevo é baixo, tal como no resto do país e está sujeita a inundações.

© Sytske Dijksen
Este postal ilustra perfeitamente o Mar Frísio, também chamado Mar de Wadden. Foi enviado pela Lotty durante um encontro Postcrossing em Alkmaar em 2013. 
O Mar Frísio é formado por planícies marítimas, é muito pouco profundo, inclusivamente durante a maré baixa, quando consiste em grandes planícies arenosas interrompidas por canais de drenagem que evacuam a água. - in: wikipédia

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

DE-5603365

Estas são algumas das espécies de moluscos e coisas parecidas com minhocas que vivem no Mar de Wadden. 

© Schöning GmbH & Co. KG
DE-5603365, enviado pela Lea.
1. Poliqueta; 2. Mya arenaria;  3. Berbigão; 4. Semelidae; 5. Lanice conchilega; 6. Hediste diversicolor; 7. Tellinidae; 8. Arenicola marina;  9. Corophium volutator; 10. Mytilidae; 11. Estrela-do-mar comum; 12. Caramujo; 13. Peringia ulvae

Novo Farol de Borkum - Alemanha

De vez em quando o Claus envia uns postais surpresa e aqui há dias chegou este com um dos faróis da ilha de Borkum, uma ilha no noroeste da Alemanha. É a maior e mais ocidental das ilhas da Frísia Oriental no Mar do Norte.

www.borkum-urlaub.de
O Novo Farol é um farol activo na ilha de Borkum. Com uma altura de 60 metros, é o vigésimo quarto "farol tradicional" mais alto do mundo e o terceiro farol de tijolo mais alto do mundo. O farol está localizado no lado oeste da ilha de Borkum. 
Este farol também tem uma luz direccional contínua a uma altura de 46 metros para três direcções diferentes com as cores branco, vermelho e verde.
A torre foi construída no verão de 1879 num tempo recorde de seis meses, após um incêndio no antigo farol.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Farol de Westerhever - Alemanha

Nos últimos dias chegaram uns quantos postais de faróis da Alemanha. 

www.postcards-for-postcrossing.com
DE-5653953, enviado pelo Butz.
O farol de Westerhever localiza-se na península Eiderstedt, no norte da Alemanha, no estado de Schleswig-Holstein. 

O farol é uma das atracções da península e um dos mais conhecidos na costa do Mar do Norte. Foi construído em 1908 e ainda está activo. 

© Schöning GmbH & Co. KG
DE-3494244, enviado pela Julia.
O pais da Julia casaram-se neste farol e não foram só eles. É tão popular para a realização de casamentos que uma das casas anexas funciona como registo civil; a outra casa é um escritório de um parque nacional.

Encontro de Bielefeld 2016

Tal como em anos anteriores, a cidade alemã de Bielefeld voltou a receber mais um encontro internacional do Postcrossing, o 7º. 

Não sei quantas pessoas participaram mas as assinaturas no postal são muitas. O postal, especialmente feito para o encontro, foi enviado pela Leonie. 

domingo, 18 de dezembro de 2016

DE-5656805

Os Montes Metalíferos, Erzgebirge em alemão, são uma cordilheira entre a Alemanha e a República Checa. Formam a fronteira entre ambos os países ao longo de 150 km, estendendo-se desde a fronteira ocidental do estado da Saxónia até ao rio Elba.

© Schöning GmbH & Co. KG

DE-5656805, enviado pela Gudrun.
Passar as férias a esquiar pode ser um pouco caro mas no leste da Alemanha a uma história completamente diferente. As estâncias de esqui nos Montes Metalíferos na Saxónia e na Turíngia estão entre as mais baratas na Europa.
Os Montes Metalíferos foram em tempos o local de treino dos esquiadores da República Democrática Alemã, e hoje em dia são um dos destinos favoritos dos atletas que pretendem competir no Biatlo (esqui cross country e tiro).

Bamberg - Alemanha

Tenho várias viagens pensadas para a Alemanha e numa das rotas que já tracei, entra Bamberg. A 1ª razão é porque é um local UNESCO e além disso, o seu centro histórico parece bem bonito e interessante. Neste postal enviado pelo Andrzej está uma zona conhecida como Pequena Veneza. 

A Pequena Veneza é um antigo bairro de pescadores, caracterizado por edifícios de enxaimel que se apoiam uns nos outros e por bonitos jardins. 
Os edifícios em enxaimel foram construídos na Idade Média. 

sábado, 17 de dezembro de 2016

AT-298953

Não sei bem porquê mas interesso-me muito pela Segunda Guerra Mundial. Tenho alguns postais com reproduções de fotos dessa triste época e este é agora um dos meus favoritos. 
A foto é de 1947 e mostra os destroços de um avião em frente ao Reichstag em Berlim.

© KARTENEDITION PAWLOWSKI SOUVENIRS & POSTKARTEN BERLIN
AT-298953, enviado pela Leni.
O edifício do Reichstag foi concluído em 1894. Ao longo do século XX sofreu vários danos. Em 27 de fevereiro de 1933, em circunstâncias misteriosas, o Reichstag sofreu um incêndio que destruiu parte do seu interior e a cúpula. 
O edifício, que nunca foi totalmente reparado desde o incêndio, foi ainda mais danificado por ataques aéreos. Durante a batalha de Berlim em 1945, tornou-se um dos alvos centrais para o Exército Vermelho  devido a seu significado simbólico.
Depois de ser destruído na guerra, foi reconstruído entre 1961 e 1971 mas segyindo uma forma simplificada sem a cúpula, de acordo com planos de Paul Baumgarten. Após a reunificação alemã, o Bundestag alemão decidiu usar novamente o edifício como sede do Parlamento.
Entre 1994 e 1999, o Reichstag foi redesenhado e expandido pelo arquitecto britânico Sir Norman Foster como um edifício do Parlamento moderno, mantendo suas dimensões extensas e históricas. A cúpula de vidro acessível, que inicialmente gerou muita controvérsia, tornou-se desde então um dos marcos de Berlim.

Berlim - Alemanha

A Luzia passou recentemente pela Europa mas essa passagem não contemplou Portugal. Fica para a próxima o nosso segundo encontro. Foi até Berlim e diz que a cidade a conquistou. Por acaso ainda não tive vontade de ir à capital alemã. 
Enviou-me um postal com uma vista da Tauentzienstraße em direcção à  Breitscheidplatz e à Igreja Memorial Kaiser Wilhelm. 
Não me lembro quem enviou o 2º postal.

© www.photonet.de - Lehnartz-Fotografie
A escultura esquisita à frente chama-se Berlin. É um obra concebida em 1985 pelo casal Brigitte Matschinsky-Denninghoff e Martin Matschinsky. O motivo principal da escultura, uma "corrente partida", pretendeu simbolizar as relações cortadas entre Berlim Oriental e Berlim Ocidental devido à construção do Muro de Berlim.

Apesar do Muro ter sido destruído, a cidade decidiu comprar a escultura à Sra. Matschinsky-Denninghoff para lembrar esse infeliz capítulo da história alemã.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Catedral de Stº Estevão - Áustria

Nove 9 separam o envio destes postais de Viena. A Ara enviou o dela apenas há uns dias e o da Sybille chegou em Dezembro de 2007.

smile GmbH, Wien
A Catedral de Santo Estêvão é uma das mais antigas catedrais góticas na Europa e uma das mais importantes catedrais góticas do mundo. Situa-se na Stephansplatz, no centro da cidade de Viena.
A versão mais antiga da Catedral de Santo Estêvão era românica e remonta ao século XIII, mas dela não restam mais do que o Pórtico dos Gigantes e as Torres dos Pagãos. A vasta maioria dos seus elementos, entre eles a nave, a capela-mor e as capelas laterais, surgiram apenas durante a reconstrução gótica dos séculos XIV e XV e há até alguns, como a Sacristia Inferior, tão recentes como o período barroco.

No ano de 1945, em plena guerra, a catedral vienense sofreu um bombardeamento do qual foi muito difícil recuperar. Grande parte do monumento ficou destruída, incluindo o seu telhado de 250 mil ladrilhos, que, felizmente, foi restaurado com sucesso nos anos seguintes.
Existem variadíssimas atracções na Catedral de Santo Estevão. Para os aficionados por história, o mais interessante será, sem dúvida, observar a cripta que, debaixo do altar-mor, guarda os restos mortais de alguns dos mais importantes Habsburgos. Mas, para quem prefere desfrutar de umas vistas panorâmicas sobre a cidade de Viena, o melhor será dirigir-se ao Pavilhão Sexton e subir a uma plataforma localizada na Steffl, a conhecida agulha gótica de 137 metros. - in: http://www.postaisdeviagem.com/2014/11/catedral-de-santo-estevao-stephansdom.html

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

San Marino

Não tenho mais postais de San Marino, são apenas estes 3 e mais nenhum. Foram enviados pelo Daniel, pelo Alessandro e pelo Andrzej. 

Dos 196 países independentes do mundo, São Marino é o quinto mais pequeno. tem uma área de 61  km² e a menor população de todos os membros do Conselho da Europa, apenas cerca de 32 000 habitantes. É a única sobrevivente da antiga e poderosa rede de cidades-estado da Itália. 
San Marino é o mais antigo Estado soberano do mundo, tendo sido fundada em 3 de setembro de 301.
 A maior 'cidade' é Dogana, no entanto a capital é a Cidade San Marino, cujo centro histórico medieval nas encostas do Monte Titano, com 750 metros de altura, está classificado como Património Mundial da UNESCO desde 2008.

tito87 sas
O centro histórico da cidade remonta à fundação da república como uma cidade-estado no século XIII. San Marino está inscrito como um testemunho da continuidade de uma república livre desde a Idade Média. O centro da cidade inclui torres de fortificação, muralhas, portões e bastiões, bem como uma basílica neoclássica, conventos do século XIX, XIV e XVI, o Palazzo Publico do século XIX e o Teatro Titano do século XVIII . 
Graças à sua localização no topo do Monte Titano, não foi afectado pelas transformações urbanas que ocorreram desde o advento da era industrial até hoje.

Ed. International Souvenir
A Basílica do Santo foi projectada e construída, a partir de 1826, por Antonio Serra, um arquitecto de Bolonha, no mesmo lugar de uma antiga Igreja do século V, que foi demolida para dar lugar para a nova Basílica.
A Basílica é o principal edifício religioso no país, uma vez que conserva as relíquias do Fundador da comunidade de San Marino - São Marinho.
A Basílica, consagrada em 1855, tem um estilo neoclássico com um pórtico de colunas coríntias. A torre de sino maciça, originalmente em estilo Românico e pertencente à antiga igreja, foi reconstruída nos anos 1600.
Internamente, a Basílica tem três corredores e sete altares. O trono dos regentes, datado de 1600, está situado à esquerda do altar principal; Sob o altar uma pequena urna contém os ossos de São Marinho; À direita, um monumento de mármore abriga um santuário que contém o topo do crânio do santo.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Bolonha - Itália

Consta que durante os séculos XII e XIII existiam em Bolonha cerca de 180 torres. Ao longo dos séculos umas foram destruídas por incêndios, relâmpagos, outras foram demolidas e algumas simplesmente colapsaram. Hoje em dia existem umas 20 torres na cidade, estas duas, Garisenda e Asinelli são as mais famosas e são o símbolo de Bolonha. 

As torres situam-se bem no meio da praça Porta Ravegnana. Na sua forma original existiam edifícios de madeira ao redor das suas bases e passagens suspensas.
Ambas foram construídas em alvenaria e eles tinham funções militares muito importantes (sinalização e defesa), além de representarem com suas imponentes alturas o prestígio social das famílias nobres que as possuíam.
A Torre Asinelli foi construída entre 1109-1119 pela família Asinelli, e no século seguinte foi adquirida pelo Município de Bolonha. Tem 97,20 metros de altura e uma escadaria interna de 498 degraus concluída em 1684.
A Torre Garisenda foi construída na mesma altura mas é muito menor, tem apenas 47 metros.